Suspeito de ataque a mesquita na Noruega acusado de terror


Um norueguês suspeito de matar sua meia-irmã e depois invadir uma mesquita de Oslo com armas de fogo “com a intenção de matar o maior número possível de muçulmanos” foi acusado de assassinato e terror.

Philip Manshaus foi dominado dentro da mesquita do Centro Islâmico Al-Noor em Oslo em agosto. Ele disparou seis tiros, mas não atingiu ninguém. Uma pessoa ficou levemente ferida quando pulou em Manshaus dentro da mesquita e o segurou até a polícia chegar.

A acusação diz que Manshaus, 22 anos, é suspeito de matar sua meia-irmã de 17 anos, Johanne Zhangjia Ihle-Hansen, atirando nela quatro vezes – três na cabeça e uma no peito – com um rifle de caça em sua casa. Subúrbio de Oslo em Baerum.

Logo depois, Manshaus dirigiu-se a uma mesquita próxima, onde três homens estavam se preparando para as celebrações do Eid al-Adha. Ele usava um capacete com uma câmera de vídeo acoplada e um colete à prova de balas, de acordo com a folha de encargos obtida pela Associated Press.

Armado com um rifle de caça e uma espingarda, Manshaus disparou quatro tiros com o rifle em uma porta de vidro antes de ser dominado por um dos homens da mesquita na época, Muhammad Rafiq. Durante a briga, Manshaus disparou mais dois tiros, mas ninguém foi atingido.

Um julgamento está programado para começar em 7 de maio em Oslo.

A mídia norueguesa informou que Manshaus foi inspirado por tiroteios em março de 2019 na Nova Zelândia, onde um homem armado atacou duas mesquitas, matando 51 pessoas, e em agosto de 2019 em El Paso, Texas, onde um agressor atacou hispânicos e deixou pelo menos 22 mortos.

A agência de segurança doméstica norueguesa PST disse que tinha uma dica “vaga” sobre Manshaus um ano antes do tiroteio em 19 de agosto, mas não foi suficiente para agir porque eles não tinham informações sobre nenhum “plano concreto” de ataque.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.