Rover chinês tira selfie na superfície empoeirada de Marte

Imagens capturadas por um rover chinês retratando a superfície rochosa e empoeirada de Marte foram reveladas pela agência espacial do país.

Quatro fotos divulgadas pela Administração Espacial Nacional da China (CNSA) mostram o rover e o módulo de pouso Zhurong com pequenas bandeiras nacionais.

O CNSA disse que Zhurong colocou uma câmera remota a cerca de 33 pés da plataforma de pouso – depois retirou-se para tirar uma selfie.

A plataforma de pouso com uma bandeira nacional chinesa e contornos dos mascotes para os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim e Paraolimpíadas em Marte de 2022 é vista do rover Zhurong (CNSA / AP)

O CNSA pousou a espaçonave Tianwen-1 que transportava o rover em Marte no mês passado, depois que ele passou cerca de três meses orbitando o planeta vermelho.

A China é o segundo país a pousar e operar uma espaçonave em Marte, depois dos Estados Unidos.

O orbitador e o módulo de pouso exibem pequenas bandeiras chinesas, e o módulo de pouso traz os contornos dos mascotes para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Inverno de Pequim em 2022.

O rover de seis rodas está pesquisando uma área conhecida como Utopia Planitia, em busca de sinais de água ou gelo que possam fornecer pistas sobre se Marte algum dia sustentou vida.

Com 6 pés de altura, Zhurong é significativamente menor do que o rover Perseverance dos Estados Unidos, que está explorando o planeta com um minúsculo helicóptero.

A Nasa espera que seu rover colete sua primeira amostra em julho para retornar à Terra já em 2031.

Além da missão a Marte, o ambicioso programa espacial da China planeja enviar a primeira tripulação à sua nova estação espacial na próxima semana.

Os três membros da tripulação planejam ficar por três meses na estação Tianhe, ou Harmonia Celestial, excedendo em muito a duração de qualquer missão chinesa anterior.

Eles irão realizar caminhadas espaciais, trabalhos de construção e manutenção e realizar experiências científicas.

Os lançamentos subsequentes estão planejados para expandir a estação, enviar suprimentos e trocar equipes.

A China também trouxe de volta amostras lunares, as primeiras de um programa espacial de qualquer país desde os anos 1970, e pousou uma sonda e um rover no lado menos explorado da lua.




Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *