Funeral de Shireen Abu Akleh: Antony Blinken condena ‘intrusão’ de Israel | Noticias do mundo


Os Estados Unidos condenaram neste sábado as forças de segurança israelenses por “invadir” o cortejo fúnebre do repórter da Al Jazeera, Shireen Abu Akleh, morto em 10 de maio enquanto cobria um ataque israelense na cidade de Jenin, na Cisjordânia. “Estamos profundamente preocupados com as imagens da polícia israelense invadindo o cortejo fúnebre da palestina americana Shireen Abu Akleh. Toda família merece colocar seus entes queridos para descansar de maneira digna e desimpedida”, postou o secretário de Estado Antony Blinken no Twitter.

O tweet do principal diplomata americano veio depois que imagens da polícia de choque israelense, atacando os enlutados durante o cortejo fúnebre de sexta-feira, em Jerusalém, se tornaram virais. Imagens mostravam que até mesmo pessoas carregando o caixão do jornalista morto foram atacadas. Além disso, vários enlutados, que carregavam a bandeira palestina, viram a bandeira sendo arrancada de suas mãos pela polícia.

Leia também | Repórter da Al-Jazeera é morto durante ataque israelense na Cisjordânia

“Isso prova que os relatórios e as palavras honestas de Shireen tiveram um impacto poderoso”, disse o falecido irmão de 51 anos, Tony, à Associated Press.

Enquanto isso, as ações de Israel atraíram condenação generalizada, inclusive das congressistas norte-americanas Rashida Tlaib e Ilhan Omar, que criticaram abertamente o governo Joe Biden por seu ‘silêncio’ sobre o assassinato do jornalista, que tanto a Al Jazeera quanto testemunhas culpam Israel, um aliado chave de Washington.

“Isso é doentio. Racismo violento, viabilizado por US$ 3,8 bilhões de fundos militares incondicionais dos EUA. Para o governo do apartheid israelense, a vida de Shireen não importava – e sua desumanização continua após a morte. @StetDept: condene esse horror ou ser palestino o torna menos americano?” Tlaib twittou.

“Isso é simplesmente cruel”, escreveu Ilhan Omar.

Israel, por outro lado, nega foi responsável pela morte de Shireen Abu Akleh. “De acordo com as informações que coletamos, parece provável que palestinos armados – que estavam atirando indiscriminadamente na época – foram responsáveis ​​pela infeliz morte do jornalista”, disse o primeiro-ministro Naftali Bennett.

  • SOBRE O AUTOR

    Siga as últimas notícias e desenvolvimentos da Índia e de todo o mundo com a redação do Hindustan Times. De política e políticas à economia e meio ambiente, de questões locais a eventos nacionais e assuntos globais, temos tudo o que você precisa.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.