Líbia intercepta e devolve dois barcos transportando 550 migrantes com destino à Europa


A guarda costeira da Líbia interceptou dois barcos que transportavam mais de 550 migrantes com destino à Europa ao largo da costa do país, disse a agência de refugiados da ONU.

Ele marcou as últimas interceptações marítimas em meio a uma onda de travessias e tentativas de travessias da nação do Norte da África para as costas europeias nos últimos meses. Ocorreu dois dias depois de uma repressão massiva aos migrantes em uma cidade do oeste da Líbia, que resultou na prisão de pelo menos 4.000 migrantes.

A Líbia emergiu como o ponto de trânsito dominante para migrantes que fogem da guerra e da pobreza na África e no Oriente Médio, na esperança de uma vida melhor na Europa.

A tendência se desenvolveu depois que o país mergulhou no caos após o levante apoiado pela OTAN de 2011 que derrubou e matou o ditador Muammar Gaddafi.

Os traficantes de seres humanos se beneficiaram com o caos no país rico em petróleo e contrabandearam migrantes através da longa fronteira do país com seis nações. Em seguida, eles empacotam migrantes desesperados em barcos de borracha mal equipados em viagens arriscadas através da perigosa rota do Mar Mediterrâneo Central.

O primeiro barco de madeira, com cerca de 500 migrantes a bordo, foi desembarcado na manhã de domingo em um ponto de refinaria de petróleo na cidade de Zawiya, um importante ponto de partida para migrantes, de acordo com a agência de refugiados da ONU, ACNUR. Eles incluem sudaneses, somalis, bengalis e sírios, disse.

No final do dia, o ACNUR disse que a guarda costeira devolveu pelo menos 56 migrantes, incluindo três crianças, ao porto naval de Trípoli, depois que seu barco de borracha quebrou no mar.

Os migrantes provavelmente foram levados para um centro de detenção, como as autoridades líbias costumam fazer com migrantes interceptados.

No sábado, a guarda costeira da Líbia interceptou cerca de 90 migrantes, incluindo oito mulheres e três crianças, e os devolveu a Trípoli, disse a agência da ONU. A guarda costeira também recuperou os corpos de dois migrantes, enquanto outros 40 continuaram desaparecidos no mar, disse a agência.

Houve um aumento nas travessias e tentativas de travessia do Mar Mediterrâneo com o objetivo de atingir o solo europeu. Neste ano, cerca de 44.000 pessoas chegaram à costa da Europa cruzando o Mediterrâneo central saindo da Tunísia e da Líbia.

Até 25 de setembro, mais de 25.000 pessoas foram interceptadas pela guarda costeira líbia treinada e equipada pela UE este ano e retornaram ao país dilacerado pela guerra, de acordo com a agência de migração da ONU.

Mais de 1.100 migrantes foram declarados mortos ou presumivelmente mortos fora da Líbia nos primeiros nove meses de 2021.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.