China reúne países do Oceano Índico para fórum e deixa Índia de fora | Noticias do mundo


Pequim: No início desta semana, a China reuniu 19 países, incluindo todos os países do sul da Ásia, exceto a Índia, para participar de um primeiro fórum com foco no Oceano Índico, o mais recente indicador da influência crescente de Pequim na região marítima estratégica e na principal rota comercial marítima.

Funcionários ministeriais e diplomatas seniores da Indonésia, Irã, Mianmar, Austrália e oito países africanos, incluindo África do Sul, Quênia e Tanzânia, participaram do primeiro Fórum da Região do Oceano Índico sobre Cooperação para o Desenvolvimento (IORFDC) na cidade de Kunming, no sudoeste do país, em 21 de novembro.

A Índia não foi convidada para a mesa, segundo autoridades.

O fórum foi organizado pela Agência de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento da China (CIDCA), agência governamental chefiada pelo ex-vice-ministro das Relações Exteriores e embaixador da China na Índia, Luo Zhaohui.

Aproveitando a oportunidade do fórum para ampliar sua esfera de influência na vasta região marítima, a China propôs estabelecer um mecanismo de cooperação para prevenção e mitigação de desastres marinhos com os países da Região do Oceano Índico (IOR).

A China está “… pronta para fornecer apoio financeiro, material e técnico necessário aos países necessitados”, disse um comunicado da CIDCA divulgado no final do fórum.

“A China também propôs o estabelecimento de uma rede de think tanks de economia azul para a China e os países da região do Oceano Índico com o apoio de (província de) Yunnan”, acrescentou o comunicado.

As áreas nas quais os países prometeram se concentrar foram no combate à pandemia de Covid-19, crise climática, aumento dos riscos de desastres, perda de biodiversidade marinha, poluição marinha e seu impacto na estabilidade econômica e social e no desenvolvimento que os países da região sofreram.

“Eles enfatizaram que é necessário fortalecer a coordenação de políticas”, acrescentou o comunicado do CIDCA.

O fórum foi o mais recente esforço de Pequim para alcançar os países do IOR.

Durante sua visita ao Sri Lanka em janeiro deste ano, o conselheiro de estado e ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi, propôs estabelecer um “fórum sobre o desenvolvimento dos países insulares do Oceano Índico”, que se diz ser um alcance separado do governo chinês.

O novo fórum liderado pela China, focado no desenvolvimento, pode ser interpretado como tendo como objetivo combater a influência tradicional de Nova Delhi no IOR, onde a Associação da Orla do Oceano Índico (IORA), com a Índia como membro fundador, criou raízes.

O objetivo do IORA é fortalecer a cooperação regional na região do Oceano Índico e atualmente possui 23 membros e 10 parceiros de diálogo.

A China é um parceiro de diálogo no IORA.

Além do IORA, o primeiro-ministro Narendra Modi propôs “Segurança e Crescimento para Todos na Região” (SAGAR) em 2015 para uma cooperação ativa entre os países litorais da região do Oceano Índico.

Há também o ‘Simpósio Naval do Oceano Índico’, apoiado pela Marinha da Índia, que busca aumentar a cooperação marítima entre as marinhas da região.

Os laços entre a Índia e a China estão em seu pior nível em décadas desde o confronto no Vale de Galwan em junho de 2020 entre as tropas de fronteira dos dois países.

A Índia tem consistentemente afirmado que a paz e a tranquilidade ao longo da Linha de Controle Real (LAC) são essenciais para o desenvolvimento geral das relações bilaterais com a China.

  • SOBRE O AUTOR

    Sutirtho Patranobis está em Pequim desde 2012, como correspondente do Hindustan Times na China. Anteriormente, ele trabalhou em Colombo, Sri Lanka, onde cobriu a fase final da guerra civil e suas consequências. Patranobis cobriu várias áreas, incluindo saúde e política nacional em Delhi, antes de ser destacado para o exterior.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *