Austrália deve restringir o uso da vacina AstraZeneca com ‘precauções necessárias’

A Austrália se tornou o último país a restringir o uso da vacina AstraZeneca, recomendando que ela não seja administrada a pessoas com menos de 50 anos.

O anúncio foi feito depois que os reguladores de medicamentos realizaram uma série de reuniões urgentes no início do dia.

Isso seguiu o conselho da Agência Europeia de Medicamentos de que havia encontrado uma possível ligação entre a injeção e coágulos sanguíneos raros.

O primeiro-ministro do país, Scott Morrison, disse que recebeu uma série de recomendações de um grupo consultivo na noite de quinta-feira, e a principal delas era que a vacina Pfizer deveria agora ser adotada como a vacina preferida para pessoas com menos de 50 anos.

Morrison disse que as recomendações foram feitas com muita cautela devido aos raros, mas graves efeitos colaterais, que têm sido associados principalmente a pessoas mais jovens.

“Estamos tomando as precauções necessárias com base no melhor conselho médico possível”, disse Morrison.

“Não tem sido nossa prática pular nas sombras.”

O Grupo Consultivo Técnico Australiano sobre Imunização também recomendou que pessoas com menos de 50 anos que já haviam recebido sua primeira injeção de AstraZeneca deveriam prosseguir com a obtenção da segunda injeção, já que o conselho médico indicou que os raros coágulos sanguíneos se desenvolvem somente após a primeira dose.

O grupo disse que apenas quando o benefício supera claramente o risco, uma injeção inicial de AstraZeneca deve ser administrada a alguém com menos de 50 anos.

O primeiro ministro da Austrália, Scott Morrison (Rick Rycroft / AP)

Os profissionais de saúde com menos de 50 anos que deveriam receber a vacina AstraZeneca agora serão priorizados para a vacina Pfizer, o que provavelmente atrasará o processo de inoculação.

De fato, de acordo com a estratégia de vacinação da Austrália, a maioria das pessoas deveria receber a vacina AstraZeneca.

Políticos da oposição disseram que as descobertas da agência europeia destacaram o perigo de a Austrália não conseguir acordos de vacinas com outros fornecedores.

A mudança na Austrália ocorreu depois que as autoridades britânicas recomendaram que a vacina AstraZeneca não fosse dada a adultos com menos de 30 anos, sempre que possível.

Vários outros países também impuseram limites.

Essas restrições são observadas de perto, já que a vacina, que é mais barata e mais fácil de armazenar do que muitas outras, é crítica para as campanhas globais de imunização e é um pilar do programa apoiado pela ONU conhecido como Covax, que visa levar vacinas para algumas das populações mais pobres do mundo países.


Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *