Os comentários de Bernie Ecclestone sobre Putin vão ‘nos fazer retroceder décadas’


Lewis Hamilton criticou o ex-chefe da F1 Bernie Ecclestone, alertando que seus elogios a Vladimir Putin “nos colocarão de volta em décadas”.

O piloto de corrida pediu às emissoras que evitassem o piloto de 91 anos e disse que alguém que apoiava “matar” pessoas não deveria receber uma plataforma.

Entrevistado no Good Morning Britain da ITV na quinta-feira, Ecclestone descreveu o presidente russo como uma “pessoa de primeira classe” e pareceu minimizar sua invasão da Ucrânia.

“O que ele está fazendo é algo que ele acreditava ser a coisa certa que ele estava fazendo para a Rússia”, disse ele.

“Infelizmente, ele é como muitos empresários, certamente como eu, cometemos erros de vez em quando.

“Eu ainda levaria um tiro por ele. Prefiro que não doa, mas se doer ainda levaria um tiro, porque ele é uma pessoa de primeira classe.”

Ecclestone acrescentou que a guerra poderia ter sido evitada se o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, fizesse “um esforço grande o suficiente” para falar com Putin.

Hamilton, sete vezes campeão mundial de Fórmula 1, argumentou que Ecclestone era uma “voz mais velha” que não representava mais o esporte.

“Não precisamos mais disso, ouvir de alguém que acredita na guerra, no deslocamento de pessoas e na matança de pessoas, e apoiar essa pessoa (Putin) está além de mim”, disse ele.

“Não acredito que ouvi isso. Isso vai nos fazer retroceder décadas, e ainda temos que ver o peso real da dor.

“Por que? Não precisamos apoiar isso, mas olhar para o futuro.

“Se você não tem nada de positivo para contribuir, não dê espaço a eles.”

A F1 também se distanciou das observações de seu ex-chefe, que governou o esporte por quatro décadas até sua saída em 2017.

Um porta-voz disse: “Os comentários feitos por Bernie Ecclestone são suas opiniões pessoais e estão em contraste com a posição dos valores modernos do nosso esporte”.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.