O efeito da curcumina difere em domínios cognitivos individuais em diferentes populações de pacientes: uma revisão sistemática e meta-análise


A curcumina é um polifenol com fortes efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios que demonstrou ser eficaz na melhora do declínio cognitivo em estudos com animais. No entanto, sua eficácia clínica é inconclusiva e eventos adversos gastrointestinais (EAs) relevantes foram relatados. O objetivo desta meta-análise foi resumir as evidências existentes de ensaios clínicos randomizados (ECRs) dos efeitos da curcumina na função cognitiva geral, domínios cognitivos individuais e EA gastrointestinal. O estudo inclui 8 RCTs e 389 participantes. Um modelo de efeitos aleatórios foi usado para a meta-análise. Comparado com o grupo placebo, o grupo curcumina foi associado a uma melhora na memória de trabalho (Hedges’ g = 0,396, intervalo de confiança de 95% (CI) = 0,078 a 0,714, p = 0,015) e um benefício limítrofe na velocidade de processamento (Hedges’ g = 0,303, IC 95% = -0,013 a 0,619, p = 0,06). Nos domínios da linguagem, memória episódica/aprendizagem visual, memória verbal, flexibilidade cognitiva/resolução de problemas e função cognitiva geral, não houve diferença significativa para a comparação entre os grupos curcumina e placebo. O grupo curcumina teve um risco significativamente maior de EAs gastrointestinais do que o grupo placebo (odds ratio = 3,019, IC 95% = 1,118 a 8,150, p = 0,029). No futuro, os efeitos da curcumina na memória de trabalho, velocidade de processamento e EA gastrointestinal devem ser mais investigados.

Palavras-chave: Curcuma longa; conhecimento; função cognitiva; curcumina; cúrcuma.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.