Droga que tem como alvo o relógio corporal pode prevenir danos ao ataque cardíaco


Um estudo pré-clínico em ratos testou um novo método que pode impedir as cicatrizes que ocorrem após um ataque cardíaco e, assim, prevenir a insuficiência cardíaca. Os pesquisadores usaram uma droga para atingir aspectos do relógio corporal que desencadeiam respostas imunes prejudiciais.

modelo anatômico do coração humanoCompartilhar no Pinterest
Os pesquisadores estão desenvolvendo um tratamento que pode promover a cicatrização do músculo cardíaco após um ataque cardíaco e prevenir a insuficiência cardíaca associada.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), alguém nos Estados Unidos sofre um ataque cardíaco a cada 40 segundos.

Nesta emergência médica, o fluxo sanguíneo para o coração fica obstruído, impedindo o funcionamento normal do órgão e danificando parte do tecido muscular.

Após um ataque cardíaco, quando o tecido cardíaco começa a curar, o tecido cicatricial se forma e é incapaz de contrair e relaxar, além de tecidos saudáveis.

Com o tempo, isso pode levar à insuficiência cardíaca, na qual o coração se torna incapaz de bombear sangue com eficácia.

Embora vários tratamentos possam ajudar indivíduos com insuficiência cardíaca a gerenciar sua condição, não há cura que possa revertê-la. Mas e se os médicos pudessem impedir a formação de tecido cicatricial após um ataque cardíaco e, assim, tornar menos provável a insuficiência cardíaca?

É exatamente para isso que uma equipe de pesquisadores da Universidade de Guelph, em Ontário, Canadá, está trabalhando. Em um estudo pré-clínico em modelos de camundongos, a equipe de pesquisa testou um novo método que visa impedir a formação de tecido cicatricial no coração.

Nova abordagem produz resultados promissores

Em um trabalho de estudo que apareceu hoje, em Nature Communications Biology, Prof. Tami Martino e Cristine Reitz, pesquisadora de doutorado em Guelph, explicam que eles usaram um medicamento chamado SR9009 para direcionar aspectos do relógio circadiano, ou relógio biológico.

Esse “relógio” regula as funções automáticas do corpo, como a respiração, além de outros mecanismos mais sutis, incluindo algumas respostas do sistema imunológico. No que diz respeito à saúde do coração, os mecanismos circadianos controlam, entre outras coisas, as maneiras pelas quais esse órgão responde aos danos e se repara.

Na pesquisa atual, o professor Martino e Reitz usaram o SR9009 para bloquear a expressão de certos genes que desempenham um papel no desencadeamento de respostas imunes prejudiciais que eventualmente levam à formação de tecido cicatricial após um ataque cardíaco.

Para testar essa abordagem, os pesquisadores administraram a droga em camundongos e descobriram que o SR9009 ajudou a reduzir a produção de inflamassoma NLRP3. Este é um sensor intracelular que reage aos sinais de perigo após um ataque cardíaco e contribui para as cicatrizes.

As experiências dos pesquisadores mostraram que, quando administrado poucas horas após um ataque cardíaco ao lado de medicamentos convencionais, o medicamento reduzia a inflamação e melhorava o reparo do músculo cardíaco. De fato, observa a equipe, a abordagem quase fez parecer que um ataque cardíaco ainda não havia ocorrido.

Essa abordagem, observam os pesquisadores, pode, no futuro, permitir que os indivíduos evitem tomar medicamentos para o coração pelo resto de suas vidas.

“Sem cicatriz, sem danos no coração, sem insuficiência cardíaca – as pessoas podem sobreviver a ataques cardíacos porque o coração nem será danificado”, diz o professor Martino.

Ficamos surpresos ao ver a rapidez com que funcionou e a eficácia da cura de ataques cardíacos e da prevenção de insuficiência cardíaca nos modelos de ratos da doença “.

Tami Martino

Além de ser uma terapia promissora para ataque cardíaco, o novo método, argumentam os pesquisadores, poderia ajudar a mitigar a inflamação prejudicial em outros cenários médicos, como no caso de transplantes de órgãos, lesão cerebral traumática ou derrame.

“O que estamos descobrindo é que o mecanismo do relógio circadiano é importante, não apenas para a saúde do coração, mas também para curar doenças cardíacas”, diz o professor Martino.

“A medicina circadiana é verdadeiramente um novo campo promissor que levará a vidas mais longas e saudáveis”, acrescenta ela.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.