África detectando apenas um em sete casos de Covid-19, diz estudo da OMS


Apenas uma em cada sete infecções por Covid-19 na África está sendo detectada, o que significa que o nível de infecção estimado no continente pode ser de 59 milhões de pessoas, de acordo com um novo estudo da Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Com testes limitados, ainda estamos voando às cegas em muitas comunidades na África”, disse Matshidiso Moeti, diretor regional da OMS na África.

Para obter números mais precisos de infecções e controlar melhor a transmissão, a ONU planeja aumentar os testes de diagnóstico rápido em oito países africanos com o objetivo de testar sete milhões de pessoas no próximo ano.

A iniciativa é uma abordagem “radicalmente” nova que muda da vigilância passiva para a ativa por meio do trabalho com as comunidades, disse a Sra. Moeti.

Os testes rápidos são acessíveis, confiáveis ​​e fáceis de usar e fornecerão resultados em 15 minutos, disse ela.

Espera-se que outros 360.000 casos sejam detectados com o uso dos testes, com aproximadamente 75% deles assintomáticos ou leves, disse ela.

A iniciativa será baseada no que é chamado de estratégia de anel que tem sido usada para erradicar a varíola e foi implementada durante surtos de ebola. É chamado de método de anel porque tem como alvo pessoas que vivem em um raio de 100 metros em torno de novos casos confirmados.

Os profissionais de saúde saudaram a abordagem e disseram que ajudará o continente a se antecipar à pandemia, em vez de tentar se recuperar.

Desde o início do surto, a África registrou mais de oito milhões de casos de Covid-19 e 214.000 mortes, de acordo com os Centros Africanos para Controle e Prevenção de Doenças.

A ONU alertou que, com a África tendo milhões de casos não detectados, também é urgente acelerar o acesso do continente às vacinas, que demoram a chegar.

As taxas de vacinação da África são baixas. Apenas 30% dos 54 países do continente vacinaram totalmente 10% de suas populações, enquanto muitos países de alta renda alcançaram taxas de vacinação de quase 90%, de acordo com a ONU.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *