UE repreende Taleban após repressão a manifestação feminina | Noticias do mundo


A UE disse no domingo que estava “particularmente preocupada” com o agravamento das condições para mulheres e meninas no Afeganistão depois que o Talibã, governante do país, interrompeu violentamente um comício de mulheres.

No sábado, combatentes do Taleban atiraram para o ar e espancaram manifestantes que participavam de uma marcha feminina “pão, trabalho e liberdade” em Cabul. Algumas mulheres foram perseguidas em lojas próximas e atingidas com coronhadas.

A violência ressaltou as crescentes restrições do Talibã, especialmente às mulheres, desde que retomaram o controle do Afeganistão há um ano, em 15 de agosto de 2021.

“A UE está particularmente preocupada com o destino de mulheres e meninas afegãs que viram suas liberdades, direitos e acesso a serviços básicos, como educação, serem sistematicamente negados”, disse o gabinete do chefe de política externa da UE, Josep Borrell, em comunicado.

“A UE reitera que o Afeganistão deve aderir aos tratados internacionais dos quais é um Estado Parte, inclusive defendendo e protegendo os direitos econômicos, sociais, culturais, civis e políticos, e permitir a representação e participação plena, igual e significativa de todos os afegãos. na governação do país.”

Também enfatizou que “o Afeganistão também não deve representar uma ameaça à segurança de nenhum país” pelas resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

O Talibã afirmou não ter conhecimento da presença do chefe da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahiri, no Afeganistão, depois que os EUA anunciaram em 2 de agosto que o mataram em Cabul com um ataque de drone.

A declaração da UE observou que o fornecimento de assistência humanitária básica do bloco ao povo do Afeganistão depende de um país “estável, pacífico e próspero” e do Taliban defender os princípios de direitos humanos, “em particular os direitos de mulheres e meninas, crianças e minorias”.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.