Ucrânia inaugura novo depósito de lixo nuclear em Chernobyl

O presidente da Ucrânia revelou um novo depósito de lixo nuclear em Chernobyl, o local do pior desastre nuclear do mundo há 35 anos.

Volodymyr Zelenskyy visitou Chernobyl com Rafael Mariano Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica, e prometeu “transformar a zona de exclusão, como é chamada de Chernobyl, em uma zona de renascimento”.

“A Ucrânia não está sozinha, ela tem amplo apoio (de seus) parceiros”, disse Zelenskyy. “Hoje o novo repositório foi colocado em operação e é muito importante que hoje seja obtida uma licença para manter o novo repositório.”

As autoridades ucranianas decidiram usar a zona deserta ao redor da usina de Chernobyl para construir um local onde a Ucrânia poderia armazenar seus resíduos nucleares pelos próximos 100 anos.

A ex-nação soviética tem quatro usinas nucleares operando e deve transportar seus resíduos nucleares para a Rússia. O novo repositório permitirá ao governo economizar até 200 milhões de dólares (£ 144 milhões) por ano.

O Sr. Grossi tuitou que a AIEA “continuará trabalhando incansavelmente para lidar com o descomissionamento, resíduos radioativos e remediação ambiental relacionados com o acidente de Chernobyl”.

O reator nº 4 da usina de Chernobyl, 65 milhas ao norte da capital da Ucrânia, Kiev, explodiu e pegou fogo na madrugada de 26 de abril de 1986, estilhaçando o prédio e espalhando material radioativo para o céu.

As autoridades soviéticas pioraram a catástrofe ao não contar ao público o que havia acontecido – embora a cidade vizinha de operários de Pripyat tenha sido evacuada no dia seguinte, os dois milhões de residentes de Kiev não foram informados, apesar do perigo radioativo.

O mundo ficou sabendo do desastre somente depois que a radiação intensificada foi detectada na Suécia.

Mais de 600.000 pessoas participaram do combate às consequências do desastre e 30 morreram no primeiro dia.

Eventualmente, mais de 100.000 pessoas foram evacuadas das vizinhanças e a zona de exclusão de 1.000 milhas quadradas foi estabelecida, onde a única atividade era os trabalhadores descartando o lixo e cuidando de um sarcófago construído às pressas que cobria o reator.

O abrigo que cobre o reator explodido (Efrem Lukatsky / AP)

A radiação continuou a vazar do prédio do reator até 2019, quando foi coberto por um enorme abrigo em forma de arco.

No 35º aniversário do desastre na segunda-feira, as autoridades ucranianas divulgaram documentos mostrando que acidentes graves ocorreram na usina várias vezes antes de 26 de abril de 1986.

O Serviço de Segurança da Ucrânia revelou que as autoridades soviéticas emitiram um decreto em 8 de julho de 1986, classificando todos os detalhes do desastre de Chernobyl, incluindo o número de pessoas que adoeceram.

Segundo a agência, em outubro de 1987 um jornalista francês tentou colher amostras de solo e água no exterior, mas a KGB trocou suas amostras por limpas.




Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *