Triagem comparativa de óleos essenciais de plantas: fração fenilpropanóide como núcleo básico para atividade antiplaquetária


Óleos essenciais extraídos de diferentes plantas (Anthemis nobilis L., Artemisia dracunculus L., Cannabis sativa L., Cupressus sempervirens L., Cymbopogon citratus (DC.) Stapf., Curcuma longa L., Foeniculum vulgare L., Hypericum perforatum L. , Hyssopus officinalis L., Mentha spicata L., Monarda didyma L., Ocimum basilicum L., Ocotea quixos Kosterm., Origanum vulgare L., Pinus nigra JF Arnold, Pinus silvestris L., Piper crassinervium Kunth., Rosmarinus officinalis L. , Salvia officinalis L., Salvia sclarea L., Santolina chamaecyparissus L., Thymus vulgaris L., Zingiber officinaie L.) foram selecionados em porquinho-da-índia e plasma de rato para avaliar a atividade antiplaquetária e inibição da retração do coágulo. Os óleos foram analisados ​​quimicamente e uma relação entre os componentes e a capacidade de afetar a hemostasia foi evidenciada. O. quixos, F. vulgaris e A. dracunculus mostraram a maior atividade antiplaquetária contra ADP, ácido araquidônico e o agonista tromboxano A2 U46619 (IC50, 4-132 microg ml (-1)), e uma boa capacidade de desestabilizar a retração do coágulo (IC50, 19-180 µg ml (-1)). Para esses óleos, foi evidenciada uma correlação significativa entre a potência antiplaquetária e o conteúdo de fenilpropanóides (54-86%), sugerindo assim um papel fundamental para essa porção na prevenção da formação de coágulos. Esses achados fornecem a justificativa para levar em consideração a atividade antiplaquetária na triagem farmacológica de produtos naturais contendo fenilpropanóides.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.