Três homens são presos por cânticos homofóbicos no jogo Liverpool-Chelsea


Três homens foram presos por supostos cânticos homofóbicos no confronto da Premier League entre Liverpool e Chelsea em Anfield no sábado, informou a polícia.

A polícia de Merseyside confirmou na terça-feira que, em três incidentes separados, duas prisões ocorreram fora do estádio em Anfield Road e a outra dentro da própria arena.

Um comunicado confirmou que os homens, de 23, 37 e 49 anos, foram presos sob suspeita de “alarme de assédio intencional homofóbico e angústia”.

O comunicado acrescentou: “O homem de 37 anos foi libertado sob fiança enquanto se aguardam mais investigações, e os de 23 e 49 anos comparecerão a uma entrevista voluntária.

“Também estamos cientes de que 16 pessoas foram expulsas do estádio pelos comissários por várias ofensas durante a partida da Premier League.”

O superintendente Paul Sutcliffe, comandante da partida, que terminou sem gols, disse: “A polícia de Merseyside não tolerará nenhum tipo de crime de ódio e levará à justiça qualquer pessoa considerada responsável por cometer qualquer cântico ofensivo.

“Neste caso, se os três suspeitos forem acusados ​​e considerados culpados pelo crime, solicitaremos ordens de proibição do futebol para eles”.

Enquanto isso, a Polícia de Merseyside deu as boas-vindas à emissão de uma ordem de proibição a um torcedor do Everton que gritou insultos raciais contra um torcedor do Leicester no ano passado.

Matthew Gillespie, 32, de Bebington, se declarou culpado de uma ofensa racial agravada à ordem pública no South Sefton Magistrates Court na segunda-feira após o incidente em um jogo em Goodison Park em 5 de novembro.

Além da ordem de interdição, ele também foi condenado ao pagamento de multa, custas e indenização.

O detetive policial Mike Volynchook disse: “É gratificante ver esse resultado, que mostra o quão seriamente a polícia, os clubes de futebol e os tribunais levam esses crimes de ódio em nossos estádios de futebol”.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *