Taiwan impede chegadas da Índia enquanto a Indonésia relata casos da variante Covid


Taiwan se tornou o último lugar a proibir as chegadas da Índia afetada pelo coronavírus na segunda-feira, à medida que se move para prevenir novas infecções, com mais países relatando casos de uma variante identificada pela primeira vez no subcontinente.

A variante, B.1.617, atingiu pelo menos 17 países, da Grã-Bretanha e Irã à Suíça, gerando preocupação global e estimulando vários a fecharem suas fronteiras para pessoas que viajam da Índia.

Os cientistas estão estudando se a variante, resultante de duas mutações-chave na parte externa do vírus que se liga às células humanas, está causando uma explosão inesperada em casos na Índia.

A contagem de infecções do país do sul da Ásia foi apenas tímida de 20 milhões na segunda-feira, depois que relatou mais de 300.000 novos casos de coronavírus por um 12º dia consecutivo.

No mês passado, a Indonésia, que vem lutando contra um dos piores surtos de COVID-19 da Ásia, parou de emitir vistos para estrangeiros que estiveram na Índia nos 14 dias anteriores.

“Precisamos conter esses casos, embora ainda existam apenas alguns”, disse o ministro da saúde da Indonésia, Budi Gunadi Sadikin, após os dois primeiros casos da variante relatados na nação do sudeste asiático na segunda-feira.

A vizinha Malásia disse no domingo que detectou seu primeiro caso da variante indiana, dias depois de impor a proibição de voos do país.

Na segunda-feira, Taiwan disse que, exceto para seus cidadãos, todos aqueles que estiveram na Índia nos 14 dias anteriores seriam proibidos de entrar em seu território, enquanto os taiwaneses retornam enfrentam 14 dias em instalações de quarentena centralizadas.

A medida vem depois que a Austrália tomou uma medida mais drástica na semana passada, proibindo a entrada de residentes e cidadãos que estiveram na Índia nas últimas duas semanas, ameaçando multas e prisão para qualquer um que desobedecer.

Foi a primeira vez que a Austrália considerou o retorno dos cidadãos para casa um crime.

A Austrália defendeu a proibição, que entrou em vigor na segunda-feira, dizendo que tinha uma crença “forte, clara e absoluta” de que a medida era legal.

“É uma situação de alto risco na Índia”, disse o ministro da Saúde, Greg Hunt, em uma coletiva de imprensa.

“A visão forte e clara é que não houve dúvidas em nenhum dos conselhos da Commonwealth sobre isso.”

Autoridades filipinas alertaram que não podem descartar a possibilidade de uma crise do COVID-19 como a da Índia, dizendo que a decisão da semana passada de proibir a entrada de chegadas da Índia visa impedir que isso se torne realidade.

“É possível que isso aconteça aqui se não intensificarmos as respostas”, disse o subsecretário de saúde, Rosario Vergeire.

“Quando olhamos para o que está acontecendo na Índia, está acontecendo em todo o mundo … O que é diferente é a intensidade disso.”

A Organização Mundial da Saúde designa a variante como “de interesse”, sugerindo que ela pode apresentar mutações que tornariam o vírus mais transmissível, causariam doenças mais graves ou fugiriam da imunidade vacinal.

Outras cepas com riscos conhecidos, como as detectadas pela primeira vez no Brasil, Grã-Bretanha e África do Sul, foram categorizadas como “variantes preocupantes”, um nível de ameaça mais alto.



Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *