Seis feridos em explosão de drone atinge o QG da Frota do Mar Negro da Rússia


Um dispositivo explosivo transportado por drone detonou na sede da Frota do Mar Negro da Rússia, ferindo seis pessoas, disseram autoridades.

A explosão na cidade de Sebastopol, na península da Crimeia que a Rússia anexou da Ucrânia em 2014, causou o cancelamento das observâncias do feriado do Dia da Marinha da Rússia.

O serviço de imprensa da Frota do Mar Negro disse que o drone parecia ser caseiro. Ele descreveu o dispositivo explosivo como “de baixa potência”, mas o prefeito de Sevastopol, Mikhail Razvozhaev, disse que seis pessoas ficaram feridas na explosão.

Não havia informações imediatas sobre onde o drone começou seu voo. Sebastopol fica a cerca de 160 quilômetros ao sul do continente ucraniano e as forças russas controlam grande parte da área continental ao longo do Mar Negro.


Soldados russos guardam a sede da Frota do Mar Negro da Rússia (AP)

Os combates continuaram em outras partes da Ucrânia. O prefeito da principal cidade portuária de Mykolaiv, Vitaliy Kim, disse que o bombardeio matou um dos homens mais ricos da Ucrânia, Oleksiy Vadatursky, e sua esposa.

O Sr. Vadatursky chefiava um negócio de produção e exportação de grãos.

Na região de Sumy, no norte da Ucrânia, perto da fronteira com a Rússia, um bombardeio matou uma pessoa, disse a administração regional.

Três pessoas morreram em ataques no último dia na região de Donetsk, que está parcialmente sob controle das forças separatistas russas, disse o governador Pavlo Kyrylenko.

Mykhailo Podolyak, conselheiro do presidente Volodymyr Zelensky, disse no domingo que imagens de uma prisão onde pelo menos 53 prisioneiros de guerra ucranianos morreram em uma explosão na sexta-feira indicavam que a explosão veio de dentro do prédio em Olenivka, que está sob controle russo.

Autoridades russas alegaram que o prédio foi atacado pela Ucrânia com o objetivo de silenciar prisioneiros de guerra que possam estar dando informações sobre operações militares ucranianas.

Fotos de satélite tiradas antes e depois do ataque mostram que um prédio pequeno e quadrado no meio do complexo prisional foi demolido, com o telhado em lascas.

Podolyak disse que essas imagens e a falta de danos às estruturas adjacentes mostraram que o prédio não foi atacado pelo ar ou por artilharia e afirmou que as evidências eram consistentes com uma bomba hiperbárica detonada no interior.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.