Rússia e Irã obtêm informações dos eleitores antes das eleições nos Estados Unidos, dizem autoridades

A Rússia e o Irã obtiveram informações de registro de voto dos EUA e pretendem interferir na eleição presidencial, disse o diretor nacional de inteligência do governo.

John Ratcliffe, o diretor de inteligência, e o diretor do FBI Chris Wray, disse em uma entrevista coletiva que os Estados Unidos imporão custos a qualquer país estrangeiro que interfira nas eleições de 2020 nos Estados Unidos.

O anúncio foi feito depois que eleitores democratas em pelo menos quatro estados de batalha, incluindo Flórida e Pensilvânia, receberam e-mails ameaçadores, alegando falsamente ser do grupo de extrema direita Proud Boys.

As mensagens avisavam “nós iremos atrás de você” se os destinatários não votassem em Donald Trump.

A operação de intimidação de eleitores aparentemente usou endereços de e-mail obtidos nas listas de eleitores do estado, que incluem filiação partidária e endereços residenciais e podem incluir endereços de e-mail e números de telefone.

Esses endereços foram então usados ​​em uma operação de spam direcionada aparentemente difundida.

Os remetentes alegaram que saberiam em qual candidato o destinatário estava votando na eleição de 3 de novembro, para a qual a votação antecipada está em andamento.

Autoridades federais há muito alertam sobre a possibilidade desse tipo de operação, já que tais listas de registro não são difíceis de obter.

“Esses e-mails têm o objetivo de intimidar e minar a confiança dos eleitores americanos em nossas eleições”, tuitou Christopher Krebs, o principal oficial de segurança eleitoral do Departamento de Segurança Interna, na noite de terça-feira, após relatos dos primeiros e-mails surgirem.


Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *