Putin foi ‘empurrado’ para a guerra na Ucrânia, diz ex-primeiro-ministro da Itália | Noticias do mundo


O presidente russo, Vladimir Putin, foi “empurrado” para a guerra contra a Ucrânia para instalar um novo governo em Kyiv, disse o ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi na noite de quinta-feira, em comentários que devem preocupar aliados ocidentais antes da eleição da Itália.

Berlusconi, cujo partido Forza Itália pertence a uma coalizão de direita que deve vencer as eleições gerais de domingo, não é novo na defesa das ações de Putin na Ucrânia. Seus comentários destacam rachaduras na coalizão sobre a guerra.

Berlusconi, amigo pessoal do líder russo, minimizou os instintos belicistas de Putin depois que ele ameaçou usar armas nucleares após sofrer reveses na Ucrânia.

Consulte Mais informação: ‘Faça as contas à maneira russa’: pergunta do ministro da Ucrânia sobre mobilização

“Putin foi pressionado pelo povo russo, por seu partido, por seus ministros a inventar essa operação especial”, disse Berlusconi, usando a redação oficial russa para a guerra.

Sob o primeiro-ministro Mario Draghi, a Itália tem sido um firme defensor das sanções ocidentais à Rússia em resposta às suas ações na Ucrânia.

Giorgia Meloni, da extrema-direita Irmãos da Itália, apontada como a próxima premiê, prometeu manter essa posição, mas Berlusconi e seu outro aliado Matteo Salvini têm sido mais ambivalentes.

O plano da Rússia era originalmente conquistar Kyiv “em uma semana”, substituir o presidente ucraniano Volodymir Zelenskiy por “um governo de pessoas decentes” e sair “em outra semana”, acrescentou.

Consulte Mais informação: Em meio a ‘êxodo em massa’, estudantes russos são presos e forçados a se alistar

“Eu nem entendi por que as tropas russas se espalharam pela Ucrânia enquanto em minha mente elas deveriam ter ficado apenas em Kyiv”, insistiu Berlusconi.

Os objetivos de guerra declarados de Putin variaram durante os sete meses de guerra. A Ucrânia inicialmente perseguiu suas tropas da área de Kyiv e, mais recentemente, do nordeste, perto da fronteira com a Rússia. Putin agora diz que o principal objetivo é garantir território na região de Donbass, na Ucrânia, parcialmente controlada por separatistas pró-Rússia.

Falando na televisão pública italiana RAI, Berlusconi sugeriu que a decisão de Moscou de invadir veio em resposta a um apelo dos separatistas.

Ele disse que seus líderes foram ao Kremlin e disseram diretamente a Putin: “por favor, nos defenda, porque se você não nos defender, não sabemos onde podemos acabar”.

Após a anexação da Crimeia pela Rússia em 2014, Berlusconi disse que visitou a península com Putin e viu moradores locais agradecerem ao líder russo.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.