Projeto de lei do trabalho doméstico da Espanha para obrigar os empregadores a pagar por todas as despesas

O governo espanhol concordou com sindicatos e líderes empresariais que os empregadores devem cobrir as despesas com o trabalho doméstico depois que a pandemia do coronavírus fez com que milhões de pessoas trabalhassem de suas salas de estar.

“Foi fundamental regulamentar o trabalho remoto para proteger os direitos dos trabalhadores”, disse o vice-primeiro-ministro Pablo Iglesias ao canal de TV estatal TVE na terça-feira.

“Esta nova regra vai aumentar a produtividade e a competitividade da economia espanhola”, bem como as condições de trabalho dos espanhóis que trabalhavam parcialmente de casa em 2020, disse a ministra do Trabalho Yolanda Diaz em entrevista coletiva posteriormente.

Dados oficiais mostram que mais de 3,5 milhões de pessoas trabalharam remotamente no segundo trimestre.

De acordo com a proposta preliminar do governo, as empresas teriam de financiar todas as despesas que os funcionários possam ter quando trabalharem em casa, incluindo equipamentos de informática e móveis, enquanto os funcionários podem solicitar horários de trabalho flexíveis.

Os benefícios se aplicariam apenas aos funcionários que ficarem em casa por pelo menos 30% de seu horário de trabalho, e os empregadores terão o direito de monitorar a presença online dos trabalhadores, respeitando a dignidade e a privacidade.

Todas as modalidades de trabalho em casa devem ser voluntárias, tanto para empregadores quanto para empregados.

As novas regras, se aprovadas pelo parlamento, não se aplicariam aos horários de trabalho doméstico que foram estabelecidos especificamente para lidar com a pandemia do coronavírus.

Três meses após o fim do bloqueio da Espanha, muitos espanhóis ainda estão trabalhando remotamente, já que as regras de distanciamento social limitam a capacidade dos escritórios.

O Ministério do Trabalho também está buscando a prorrogação de um esquema de licença que expira em 30 de setembro.

O bloqueio marcou uma grande mudança para os espanhóis, principalmente desacostumados a marcar o ponto de partida de casa. Apenas 3,5% dos trabalhadores espanhóis trabalhavam parcialmente em casa em 2019, em comparação com uma média de 9% na União Europeia, de acordo com o Eurostat.

Com 671.468 infecções cumulativas, a Espanha tem o maior número de casos de coronavírus na Europa Ocidental. Mais de 30.663 pessoas morreram desde o início da pandemia. – Reuters


Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *