Presidente turco participa de show aéreo russo em meio a laços com Moscou


O presidente turco Recep Tayyip Erdogan participou da abertura de um show aéreo anual da Rússia como convidado do presidente Vladimir Putin e manifestou interesse em comprar os mais recentes caças russos.

A Turquia, membro da OTAN, começou a receber entregas no mês passado do sistema de defesa aérea S-400 da Rússia e a visita é um sinal de uma aproximação entre os países.

Os Estados Unidos pressionaram o governo de Erdogan a cancelar o acordo, argumentando que sua compra ajudaria a inteligência russa e comprometeria um programa de caça a jato liderado pelos EUA.

Erdogan se recusou a ceder, apesar do governo Trump ter expulsado a Turquia do programa multinacional para produzir o caça F-35 de alta tecnologia.

Autoridades turcas mudaram a idéia de comprar caças russos Su-35.

<img src = "http://www.breakingnews.ie/remote/image.assets.pressassociation.io/v2/image/production/d59f52edb1fc482f579b0fc48db4d824Y29udGVudHNlYXJjaCwxNTY3MDEwNzE4/4.44844044=4
O presidente russo Vladimir Putin, em segundo à direita, e o presidente turco Recep Tayyip Erdogan ((Alexei Nikolsky / AP)
"/>
O presidente russo Vladimir Putin, em segundo à direita, e o presidente turco Recep Tayyip Erdogan ((Alexei Nikolsky / AP)

Enquanto visitavam o show aéreo da MAKS fora de Moscou juntos, o líder turco e Putin se chamavam de "querido amigo" e assistiram os últimos jatos da Rússia.

Erdogan espiou dentro do cockpit do caça de primeira linha do país, o Su-57, e perguntou se o avião estava disponível para venda a clientes estrangeiros.

"Sim, você pode comprar", respondeu Putin com um sorriso.

O presidente russo observou que outro lote de equipamentos sob o contrato S-400 com a Turquia, estimado em mais de dois bilhões de dólares, foi entregue na terça-feira.

Ele disse que a Rússia está pronta para fornecer seus mais recentes caças à Turquia e aberta à produção conjunta de alguns sistemas de armas.

"Estamos prontos para isso e discutiremos ativamente com nossos parceiros", disse Putin.

Erdogan disse que os militares turcos estavam sendo treinados para usar os sistemas de mísseis S-400 de superfície ao ar.

"Queremos que nossa solidariedade continue em várias áreas da indústria de defesa", acrescentou.

“Podem ser aviões de passageiros ou de guerra. O importante é o espírito de cooperação. ”

Enquanto ambos os líderes apoiavam uma estreita cooperação econômica entre seus países, sua discussão sobre esforços conjuntos para acabar com a guerra civil da Síria revelou diferenças em suas abordagens à situação na província de Idlib, no noroeste da Síria.

Rússia e Irã apoiaram firmemente o governo do presidente sírio Bashar Assad durante os oito anos de guerra, ajudando seu exército a recuperar a maior parte do território do país, enquanto a Turquia apoiou a oposição.

Moscou e Ancara, no entanto, fecharam um acordo em setembro para diminuir as tensões em Idlib, a última fortaleza rebelde restante.

<img src = "http://www.breakingnews.ie/remote/image.assets.pressassociation.io/v2/image/production/f54dbacc2ed97255e6373760101231abY29udGVudHNlYXJjaCwxNTY3MDEwNzU2/6.44881140.jpg=4
O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, à esquerda, aperta a mão do presidente russo Vladimir Putin (Maxim Shipenkov / AP)
"/>
O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, à esquerda, aperta a mão do presidente russo Vladimir Putin (Maxim Shipenkov / AP)

As tensões aumentaram em meio a uma ofensiva recente das tropas sírias, apoiadas pela Rússia, para capturar as áreas detidas pelos rebeldes em Idlib.

A Turquia protestou contra a ofensiva, que incluiu a captura da cidade de Khan Sheikhoun e o deslocamento para o norte.

Erdogan descreveu na terça-feira como uma violação do acordo de retirada de escala que a Rússia e a Turquia chegaram a Sochi.

Ele disse que mais de 500 civis foram mortos e mais de 1.200 foram feridos.

"É inaceitável que o regime chova a morte de civis a partir do ar e do solo sob o pretexto de combater o terrorismo", disse Erdogan.

<img src = "http://www.breakingnews.ie/remote/image.assets.pressassociation.io/v2/image/production/b855e9c6bb231034e2c22b87dfde895bY29udGVudHNlYXJjaCwxNTY3MDEwNwgw4w4w4w4wqw4wqwwwwwwwwzwzwzwzwzw5wzwidwidweb.zbiz4quiduq.uuuuuuu, pagina 4
O presidente russo Vladimir Putin, à esquerda, e o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, inspecionam um caça Sukhoi Su-57 de quinta geração (Maxim Shipenkov / AP)
"/>
O presidente russo Vladimir Putin, à esquerda, e o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, inspecionam um caça Sukhoi Su-57 de quinta geração (Maxim Shipenkov / AP)

"Só podemos assumir nossas responsabilidades em relação ao acordo de Sochi se o regime interromper seus ataques".

Putin insistiu que a ofensiva era necessária para desarraigar militantes que usavam a área como base para lançar ataques às tropas do governo sírio e à base militar da Rússia.

"A zona de remoção de escalada não pode servir de refúgio para militantes e de plataforma para o lançamento de novos ataques", disse ele.

Mas, apesar das diferenças, os dois presidentes enfatizaram seu interesse comum em estabilizar o norte da Síria e comprometeram-se a respeitar os interesses mútuos de segurança.

"Entendemos a preocupação da Turquia com a segurança de sua fronteira sul e a vemos como interesse legítimo da Turquia", disse Putin.

Erdogan disse após as conversações que ele e Putin "chegaram a um entendimento sobre o que e como podemos fazer para resolver esses problemas na Síria".

– Press Association



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *