Portugal bloqueia venda de mansão por 10 milhões de euros por ‘forte convicção’ de que pertence a Abramovich


Portugal bloqueou a venda de uma casa de luxo de 10 milhões de euros por causa de uma “forte convicção” de que ela pertence ao bilionário russo Roman Abramovich.

O registo predial da mansão do luxuoso resort Quinta do Lago, no Algarve, foi congelado – o que significa que não pode ser vendido, alugado ou hipotecado – a 25 de março a pedido do Ministério dos Negócios Estrangeiros, um mês após a invasão total da Ucrânia pela Rússia.

“Temos uma forte convicção, que não foi totalmente confirmada, a casa pertence a Roman Abramovich”, disse o ministro das Relações Exteriores de Portugal, João Cravinho, no sábado, à margem de uma reunião da Otan em Berlim.

“O desafio aqui é que muitos dos sancionados não têm suas propriedades e bens em seus nomes.”

De acordo com o jornal Publico, que inicialmente noticiou a história, o ex-proprietário do clube de futebol Chelsea tentou vender a propriedade 15 dias antes do início da invasão russa da Ucrânia através da Millhouse Views LLC, com sede em Delaware, de propriedade da Millhouse LLC, que administra seus ativos.

No entanto, um porta-voz de Abramovich disse à Reuters que ele possui “qualquer propriedade em Portugal” e que “a Millhouse Views LCC não está ligada” a ele.

“Na verdade, nunca ouvimos falar dessa empresa”, acrescentou o porta-voz.

O maior banco de Portugal, a Caixa Geral de Depósitos, apercebeu-se do movimento de venda do imóvel e alertou as autoridades, disse o Publico. O banco não quis comentar.

De acordo com o Publico, a propriedade encontra-se no lote 17 da zona norte de San Lorenzo da Quinta do Lago. Uma testemunha da Reuters disse que havia uma placa do lado de fora da mansão fechada dizendo que ela havia sido vendida.

Mundo

Putin adverte que a adesão da Finlândia à Otan prejudicaria rel…

Abramovich foi sancionado pelo governo britânico e pela União Europeia por suas ligações com o presidente russo, Vladimir Putin. Ele negou ter tais vínculos.

O bilionário recebeu a cidadania portuguesa em abril de 2021 com base em uma lei que oferece naturalização a descendentes de judeus sefarditas que foram expulsos da Península Ibérica durante a Inquisição Medieval.

Há pouca história conhecida de judeus sefarditas na Rússia.

O caso gerou ondas de choque em Portugal, levando o Ministério Público a iniciar uma investigação e à detenção de um rabino responsável pela certificação que permitiu a Abramovich obter a cidadania.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.