Polícia israelense entra em confronto com manifestantes ultraortodoxos sobre bloqueio escolar

Manifestantes ultraortodoxos entraram em confronto com a polícia em duas grandes cidades israelenses, enquanto as autoridades enfrentavam novas dificuldades para impor as restrições ao coronavírus nas comunidades religiosas do país.

Os confrontos ocorreram em Jerusalém e Ashdod quando a polícia tentou fechar escolas religiosas que haviam sido abertas em violação às ordens de bloqueio.

Durante a pandemia, muitas seitas ultraortodoxas importantes desrespeitaram os regulamentos de segurança, continuando a abrir escolas, orar em sinagogas e realizar casamentos em massa em funerais.

(Oded Balilty / AP)

Isso contribuiu para uma taxa de infecção desproporcional, com a comunidade ultraortodoxa sendo responsável por mais de um terço dos casos de coronavírus de Israel, apesar de representar pouco mais de 10% da população.

Em Jerusalém, a polícia lançou gás lacrimogêneo e água com cheiro pútrido para dispersar uma multidão de centenas de residentes ultraortodoxos do lado de fora de uma escola reaberta.

Os manifestantes gritaram “saiam daqui, nazistas” contra os policiais que foram filmados prendendo os participantes.

(Oded Balilty / AP)

Na cidade costeira de Ashdod, a polícia lutou com dezenas de manifestantes do lado de fora de uma escola ultraortodoxa.

Cinco policiais ficaram feridos nas disputas e pelo menos quatro pessoas foram presas, disse a polícia.

Com o país passando por um surto de coronavírus, o governo israelense estendeu na semana passada o terceiro bloqueio nacional do país até o final de janeiro.

(Oded Balilty / AP)

O Ministério da Saúde registrou mais de 595 mil casos do vírus desde o início da pandemia e 4.361 mortes.

Novos casos continuam a aumentar, mesmo com o país lançando uma campanha massiva de vacinação.

Os confrontos de domingo foram o último incidente de tensões aumentadas sobre a aplicação das regras de bloqueio em bairros ultraortodoxos.

Na sexta-feira, israelenses ultraortodoxos atacaram um veículo da polícia na cidade de Bnei Brak, nos arredores de Tel Aviv. Uma multidão atirou pedras no carro da polícia e furou seus pneus.


Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *