PIL movido contra o Google Pay por acesso não autorizado a Aadhaar e dados bancários


PIL movido contra o Google Pay por acesso não autorizado a Aadhaar e dados bancários
O Supremo Tribunal de Delhi na quarta-feira buscou resposta da Autoridade de Identificação Única da Índia (UIDAI) e do Banco da Reserva da Índia (RBI) com um PIL alegando acesso não autorizado, uso e armazenamento de usuários Aadhaar e informações bancárias por Google Pay. Uma bancada do presidente do tribunal, DN Patel, e da juíza Jyoti Singh emitiram notificação sobre a petição e também buscaram a posição de Google India Digital Services Private Limited.

A bancada fixou 8 de novembro como a próxima data de audiência sobre a petição apresentada por Abhijit Mishra, um economista financeiro, que disse que os “Termos e Condições” do Google Pay “afirmam explicitamente que a empresa armazenará os detalhes das instruções de pagamento das partes incluindo contas bancárias e detalhes de Aadhaar “, embora nenhuma permissão para empreender tal prática tenha sido emitida pelas autoridades em questão.


“A entidade não autorizada / não licenciada / não registrada Respondente No. 3, isto é, o Google Pay está coletando os Aadhaar e os detalhes das transações bancárias dos cidadãos da Índia, o que é uma violação absoluta do ato mencionado acima, juntamente com o Artigo 21 da Constituição da Índia”, disse a contestação foi apresentada por meio do advogado Payal Bahl.

Por ser uma empresa privada, o Google Pay não tem autoridade para coletar, usar e armazenar Aadhaar e informações bancárias dos cidadãos, acrescentou.

Em outro PIL, o peticionário alegou que o aplicativo de pagamento móvel do Google, Google Pay ou GPay em resumo, estava facilitando transações financeiras sem a autorização necessária do RBI.

O Google Pay estava agindo como um provedor de sistema de pagamentos em violação da Lei de Pagamentos e Pagamentos, pois não tem autorização válida do banco central do país para realizar tais funções, afirmou.

Em resposta a essa reclamação, o Google India Digital Services disse no ano passado ao tribunal que o Google Pay não exigia autorização de RBI, pois não é um operador de sistema de pagamento (PSO), mas um provedor de aplicativos de terceiros.

O RBI havia dito anteriormente ao tribunal que o Google Pay é um provedor de aplicativos de terceiros (TPAP) e não opera nenhum sistema de pagamento.

Portanto, suas operações não violam a Lei do Sistema de Pagamento e Liquidação de 2007, disse o RBI.

FacebookTwitterLinkedin




Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *