Obama rotula a condenação de Chauvin de ‘um passo na luta por justiça’


O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que a condenação do ex-policial Derek Chauvin pela morte de George Floyd foi correta, mas apenas um passo na luta por justiça.

Ele disse em um comunicado que a verdadeira justiça exige que os americanos entendam que “os negros americanos estão sendo tratados de maneira diferente a cada dia” e que milhões vivem com medo de que seu próximo encontro com a polícia seja o último.

Obama disse que o país precisa seguir o veredicto tomando medidas concretas para reduzir o preconceito racial no sistema de justiça criminal e redobrar os esforços para expandir as oportunidades econômicas nas comunidades marginalizadas.

Anteriormente, o presidente Joe Biden, a vice-presidente Kamala Harris e a primeira-dama Jill Biden ligaram para membros da família Floyd momentos após o veredicto, de acordo com vídeo postado pelo advogado da família Ben Crump.

O Sr. Biden disse à família: “Nada vai fazer tudo melhorar, mas pelo menos agora há alguma justiça”.

Ele acrescentou: “Estamos todos muito aliviados”.

Biden disse esperar que o veredicto dê impulso aos esforços de reforma da polícia do Congresso.

De acordo com a Casa Branca, Biden e Harris assistiram ao veredicto ao vivo da sala de jantar privativa perto do Salão Oval.

Políticos de ambos os partidos americanos expressaram satisfação com o veredicto de culpado.

A representante democrata da Califórnia, Maxine Waters, disse: “Não estou comemorando, estou aliviada”.

Já o senador da Carolina do Sul, Tim Scott, o único republicano negro da Câmara, diz estar grato por um veredicto que mostra “nosso sistema de justiça continua a se tornar mais justo”.

A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, agradeceu ao Sr. Floyd “por sacrificar sua vida pela justiça”.

O líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, disse que o Congresso deve continuar trabalhando na legislação “para trazer mudanças significativas” aos departamentos de polícia.

O senador democrata da Geórgia, Raphael Warnock, diz que espera que o veredicto permita que “as pessoas que viram este trauma repetidamente” saibam que as leis do país podem lhes dar proteção igual.

O Sr. Warnock é pastor da igreja de Atlanta, uma vez liderada pelo Rev. Martin Luther King.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.