Mais de 300.000 civis mortos em conflito na Síria – ONU


Os primeiros 10 anos do conflito na Síria mataram mais de 300.000 civis, disse a ONU – a estimativa oficial mais alta até o momento de mortes de civis relacionadas ao conflito no país.

O conflito começou com protestos antigovernamentais que eclodiram em março de 2011 em diferentes partes da Síria, exigindo reformas democráticas após os protestos da Primavera Árabe no Egito, Tunísia, Iêmen, Líbia e Bahrein, que removeram alguns líderes árabes que estavam no poder há décadas.

No entanto, rapidamente se transformou em uma guerra civil que matou centenas de milhares de pessoas e destruiu grande parte do país.

O relatório de terça-feira publicado pelo Escritório de Direitos Humanos da ONU seguiu o que disse ser uma avaliação rigorosa e análise estatística dos dados disponíveis sobre vítimas civis.


Uma captura de vídeo de um soldado sírio atirando em um grande poço cheio de corpos em 2013, na área de Tadamon, em Damasco, Síria (AP)

Segundo o relatório, estima-se que 306.887 civis tenham sido mortos na Síria entre 1º de março de 2011 e 31 de março de 2021 por causa do conflito.

Os números divulgados pela ONU não incluem soldados e insurgentes mortos no conflito; acredita-se que seus números estejam na casa das dezenas de milhares.

Os números também não incluem pessoas que foram mortas e enterradas por suas famílias sem notificar as autoridades.

A alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, disse: “Estas são as pessoas mortas como resultado direto das operações de guerra.


Uma parte danificada do Aeroporto Internacional de Damasco, que foi atingida por um ataque aéreo israelense em 10 de junho (Sana via AP)

“Isso não inclui muitos, muitos outros civis que morreram devido à perda de acesso à saúde, alimentos, água potável e outros direitos humanos essenciais.”

O relatório, encomendado pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU, citou 143.350 mortes de civis documentadas individualmente por várias fontes com informações detalhadas, incluindo pelo menos seu nome completo, data e local da morte.

Além disso, técnicas de estimativa estatística foram usadas para conectar os pontos onde faltavam elementos de informação. Usando essas técnicas, estima-se que ocorreram mais 163.537 mortes de civis.

“Os números de vítimas relacionadas ao conflito neste relatório não são simplesmente um conjunto de números abstratos, mas representam seres humanos individuais”, disse Bachelet.


Uma bola de fogo sobe após um ataque aéreo do governo sírio que atingiu posições rebeldes na área leste de Aleppo em dezembro passado (AP)

Ela acrescentou que o trabalho das organizações da sociedade civil e da ONU no monitoramento e documentação de mortes relacionadas a conflitos é fundamental para ajudar famílias e comunidades a estabelecer a verdade, buscar responsabilidade e buscar soluções eficazes.

A estimativa de 306.887 significa que, em média, todos os dias, nos últimos 10 anos, 83 civis sofreram mortes violentas devido ao conflito, segundo o relatório.

Foi baseado em oito fontes de informação – incluindo o Centro de Estudos de Direitos Humanos de Damasco, o Centro de Estatística e Pesquisa-Síria, a Rede Síria para os Direitos Humanos, o Observatório Sírio para os Direitos Humanos e o Centro de Documentação de Violações.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.