Japão expande estado de emergência por coronavírus antes das Olimpíadas de Tóquio


O Japão expandiu ainda mais o estado de emergência do coronavírus, atualmente em Tóquio e cinco outras prefeituras, já que o governo do primeiro-ministro Yoshihide Suga continua determinado a realizar as Olimpíadas em pouco mais de dois meses.

O país tem lutado para diminuir as infecções antes dos Jogos.

As três adições incluem Hokkaido, estado insular do norte do Japão, onde será realizada a maratona olímpica, bem como Hiroshima e Okayama, no oeste do Japão.

As três áreas no domingo se juntarão a Tóquio, Osaka e quatro outras prefeituras já sob as restrições do coronavírus, até 31 de maio, anunciou Suga em uma reunião de força-tarefa do governo.

Bares, salas de karaokê e a maioria das instalações de entretenimento devem fechar.

Os proprietários de negócios que cumprirem serão compensados; aqueles que não o fizerem podem enfrentar multas.

“As infecções estão aumentando rapidamente em áreas povoadas”, disse Suga ao explicar a decisão.

Seu governo está sob forte pressão do público, que está cada vez mais frustrado com o lançamento lento da vacina e as repetidas declarações de emergência.

Muitos agora se opõem a hospedar as Olimpíadas de 23 de julho a 8 de agosto, e as pessoas parecem ser menos cooperativas com pedidos de permanência em casa e distanciamento social que não são obrigatórios de qualquer maneira.

Menos de 2% da população foi totalmente vacinada.

A expansão do estado de emergência é uma grande mudança em relação ao plano inicial do governo, que dependia de medidas menos rigorosas que foram consideradas insuficientes.


Advogado Kenji Utsunomiya após apresentar uma petição ao governo de Tóquio pedindo o cancelamento dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio em 2020 (Eugene Hoshiko / AP)

A adição de Hiroshima às áreas cobertas por medidas de emergência ocorre poucos dias depois que os organizadores japoneses anunciaram que a viagem do presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, originalmente programada para a semana que vem, para marcar o revezamento da tocha em Hiroshima, foi cancelada.

No início da sexta-feira, os organizadores de uma petição exigindo o cancelamento das Olimpíadas enviaram ao governador de Tóquio, Yuriko Koike, mais de 350 mil assinaturas coletadas desde o início de maio.

A petição diz que o dinheiro gasto nos Jogos deve ser melhor usado por pessoas com necessidades financeiras devido à pandemia.

Na quinta-feira, o Japão relatou 6.800 novos casos confirmados, somando um total de 665.547 com 11.255 mortes.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *