Iêmen assina pacote de ajuda de bilhões de dólares com fundo dos Emirados Árabes Unidos


O governo do Iêmen assinou um acordo com o Fundo Monetário Árabe no domingo, informou a mídia estatal, abrindo caminho para que o governo apoiado pela Arábia Saudita receba US$ 1 bilhão em ajuda econômica.

O fundo com sede em Abu Dhabi, uma suborganização da Liga Árabe de 22 membros, pagará o dinheiro de 2022 a 2025.

O acordo econômico visa ajudar o governo iemenita a estabelecer estabilidade monetária e fiscal por meio de amplas reformas econômicas, informou a agência de notícias Saba.

A guerra civil do Iêmen, que está entrando em seu oitavo ano, destruiu a economia do país e deixou metade da população à beira da fome.

Mais de 150.000 pessoas foram mortas no conflito, incluindo 14.500 civis.

Em média, os alimentos estão 60% mais caros do que no ano passado, em grande parte devido à guerra na Ucrânia, que cortou as críticas importações de trigo do Leste Europeu.

O conflito começou em 2014, quando os rebeldes Houthi, apoiados pelo Irã, tomaram a capital de Sanaa, juntamente com grande parte do norte do Iêmen, forçando o governo ao exílio.

Uma coalizão liderada pela Arábia Saudita, incluindo os Emirados Árabes Unidos, interveio em 2015 para tentar restaurar o poder do governo reconhecido internacionalmente.

Desde então, o banco central do país foi dividido entre os lados em guerra.

A filial de Aden do banco central do Iêmen cai sob o controle das forças da coalizão saudita. Nos últimos anos, a filial de Aden ajudou a alimentar a inflação imprimindo novas notas para pagar suas dívidas e cobrir os salários do setor público. Notas impressas em Aden não são exceção em áreas controladas por Houthi, cujo banco central opera em Sanaa.

O acordo de domingo foi assinado pelo governador da filial de Aden do banco central do Iêmen, Ahmed al-Maabqi, na presença do ministro das Finanças da Arábia Saudita, Mohammed Al-Jadaan.

Em comunicado divulgado pelo Ministério das Finanças de Houthi após a assinatura, o grupo rebelde denunciou o acordo e disse que o fundo servirá apenas “aos países de agressão, não à sociedade iemenita”.

Os sauditas investiram bilhões de dólares para sustentar o governo internacionalmente reconhecido do Iêmen ao longo dos anos, com o Reino tendo anteriormente prometido US$ 3 bilhões em abril para ajudar sua economia atingida pela guerra.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *