facebook: Trabalhadores da empresa de vigilância israelense NSO processam o Facebook, eis o porquê – Últimas Notícias


Um grupo de funcionários da empresa de vigilância israelense Grupo NSO entrou com uma ação contra Facebook Inc na terça-feira, dizendo que o gigante da mídia social havia bloqueado injustamente suas contas privadas quando processou NSO mês passado.

Serviço de mensagens Whatsapp, que é de propriedade do Facebook, acusou a NSO em sua própria ação legal de ajudar espiões do governo a invadir os telefones de cerca de 1.400 usuários em quatro continentes em uma onda de hackers cujos objetivos incluíam diplomatas, dissidentes políticos, jornalistas e altos funcionários do governo.

Os funcionários da NSO disseram que suas contas do Facebook e Instagram e também as de ex-funcionários e familiares foram bloqueadas. Eles pediram ao Tribunal Distrital de Tel Aviv que ordene que o Facebook desbloqueie as contas, o que eles alegam que foi feito abruptamente e sem aviso prévio.

O Facebook não respondeu imediatamente a um e-mail da Reuters solicitando comentários.

Em seu comunicado, os funcionários da NSO disseram que o Facebook impôs uma "punição coletiva" ao optar por bloquear suas contas privadas devido ao processo legal que o Facebook está conduzindo contra a NSO. Eles também disseram que o processo ocorreu somente depois que eles fizeram pedidos repetidos ao Facebook sem resposta.

"Bloquear nossas contas privadas é uma ação prejudicial e injusta do Facebook", afirmou o comunicado. "A ideia de que dados pessoais foram pesquisados ​​e usados ​​é muito preocupante para nós"

Os funcionários disseram que continuarão a "ajudar governos de todo o mundo a prevenir crimes e terrorismo através da tecnologia que estamos desenvolvendo".

O WhatsApp acusou a NSO de facilitar as ações de hackers do governo em 20 países. México, Emirados Árabes Unidos e Bahrein foram os únicos países identificados.



A NSO, fundada em 2009, nega as acusações.

Falando em uma conferência de tecnologia em Tel Aviv na segunda-feira, sua presidente, Shiri Dolev, defendeu sua empresa, dizendo que as tecnologias NSO tornaram o mundo mais seguro. Dolev também disse que desejava que a NSO pudesse falar abertamente sobre o papel que desempenha em ajudar as agências policiais a capturar terroristas.

"Terroristas e criminosos usam as plataformas sociais e aplicativos que todos usamos todos os dias …", disse ela.

Dolev acrescentou que a NSO não opera a tecnologia nem invade telefones. "Desenvolvemos a tecnologia que vendemos exclusivamente para agências de inteligência do governo", disse ela.


Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.