Ex-ministro conservador preso por acusação de estupro

Um deputado conservador do Reino Unido foi preso depois que um ex-assessor parlamentar o acusou de estupro, agressão sexual e controle coercitivo, segundo relatos.

O ex-ministro, que não foi identificado, teria agredido uma mulher e a forçado a fazer sexo – e o abuso teria ocorrido durante um relacionamento, informaram The Sunday Times e Mail on Sunday.

A Polícia Metropolitana informou que recebeu na sexta-feira alegações de ofensas sexuais e agressões relacionadas a quatro incidentes separados em endereços em Londres, inclusive em Westminster, entre julho do ano passado e janeiro deste ano.

Um porta-voz do Met disse: “O Met lançou uma investigação sobre as alegações”.

Um homem foi preso no sábado por suspeita de estupro e foi preso em uma delegacia do leste de Londres, acrescentou a força.

Ele foi libertado sob fiança até uma data em meados de agosto.

Os jornais disseram que as acusações foram feitas com o chefe da Tory, Whip Mark Spencer, e o queixoso também falou com ele – mas nenhuma ação foi tomada.

A agência de notícias da AP entende que Spencer a aconselhou a fazer uma queixa formal às autoridades que poderiam investigar as alegações.

Um porta-voz do Sr. Spencer disse: “O Chief Whip leva a sério todas as alegações de assédio e abuso e encorajou fortemente qualquer pessoa que o abordou a entrar em contato com as autoridades apropriadas, incluindo o Sistema Independente de Queixas e Queixas do Parlamento, que pode formalmente executar investigações confidenciais. ”

Um porta-voz do Partido Conservador disse: “Levamos a sério todas as alegações dessa natureza. Como esse assunto está agora nas mãos da polícia, seria inapropriado comentar mais. ”

A investigação ocorre dias após a condenação do ex-deputado conservador Charlie Elphicke no Tribunal da Coroa de Southwark, em um caso separado de agressão sexual a duas mulheres, uma das quais trabalhava no parlamento.


Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *