Estratégias nutricionais para melhorar a composição lipídica da carne, com destaque para Tailândia e Ásia


Este artigo analisa as oportunidades de enriquecimento dos lipídios da carne com ácidos graxos n-3 e ácidos linoléicos conjugados (CLAs), ambos considerados benéficos à saúde humana. O foco especial é colocado em alimentos disponíveis e pesquisas realizadas na Tailândia. É necessária uma consideração diferenciada com relação ao valor dos diferentes ácidos graxos n-3 e isômeros de CLAs. Em ruminantes, é difícil enriquecer a carne com ácidos graxos n-3 devido à extensa biohidrogenação ruminal de ácidos graxos insaturados, mas existem várias possibilidades de aumentar a proporção do isômero CLA mais desejado, o ácido rumênico. Em contraste, a carne de porco e de aves pode ser facilmente enriquecida com ácidos graxos n-3. Com fontes de CLA purificadas, os CLAs também podem ser aumentados, mas é difícil conseguir isso exclusivamente para o ácido rumênico. Uma abordagem interessante pode consistir em suplementar o ácido vacênico precursor do CLA. As possíveis restrições para a qualidade da carne e os níveis de ácidos graxos alcançados são descritas.

Palavras-chave: Saúde humana; Lipídios; Eu no; Valor nutricional; Tailândia; ácido cis-9, trans-11 dienóico (PubChem CID: 5280644); ácido docosahexaenóico (PubChem CID: 6433873); ácido eicosapentaenóico (PubChem CID: 446284); ácido linoleico (PubChem CID: 528045); ácido oleico (PubChem CID: 445639); ácido α-linolênico (PubChem CID: 5280934).



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.