Empresa sul-africana fará a primeira vacina Pfizer Covid na África


Uma empresa sul-africana começará a produzir a vacina Pfizer / BioNTech Covid-19, a primeira vez que o jab será produzido na África, anunciou a Pfizer.

O Instituto Biovac, com sede na Cidade do Cabo, vai fabricar a vacina para distribuição em toda a África, em um movimento que deve ajudar a atender à necessidade desesperada do continente por mais doses em meio a um recente aumento de casos.

A Biovac receberá grandes lotes de ingredientes da vacina da Europa e misturará os componentes, os colocará em frascos e os embalará para distribuição.

A produção terá início em 2022 com a meta de atingir mais de 100 milhões de doses prontas anualmente.


Um paciente idoso recebe uma dose da vacina Pfizer, em uma clínica em Orange Farm, perto de Joanesburgo (Denis Farrell / AP)

A produção de doses da Biovac será distribuída entre os 54 países da África.

O desenvolvimento é “um passo crítico” para aumentar o acesso da África a uma vacina eficaz Covid-19, disse a presidente-executiva da Biovac, Dra. Morena Makhoana.

O objetivo da Pfizer é fornecer acesso à sua vacina a pessoas em todos os lugares, disse o CEO Albert Bourla.

Mas a grande maioria de suas doses de vacina foi vendida em acordos bilaterais para países ricos e apenas uma pequena quantidade foi disponibilizada para o esforço apoiado pela ONU para compartilhar vacinas Covid de forma justa.

A África do Sul está contando com a vacina da Pfizer em sua campanha de inoculação em massa. Já comprou 40 milhões de doses, que chegam em entregas semanais.

A vacina Johnson & Johnson (J&J) já está sendo produzida na África do Sul. A fábrica da Aspen Pharmacare em Gqeberha, antiga Port Elizabeth, está produzindo a vacina J&J no mesmo processo de “preenchimento e acabamento” e tem capacidade para produzir mais de 200 milhões de doses da vacina anualmente.

As vacinas J&J fabricadas na África do Sul também estão sendo distribuídas em todo o continente africano.

A campanha de vacinação da África do Sul está aumentando, com mais de 220.000 pessoas recebendo vacinas durante a semana. Mais de 5,5 milhões dos 60 milhões de habitantes da África do Sul receberam pelo menos uma vacina, com mais de 1,4 milhão totalmente vacinados, de acordo com dados oficiais na quarta-feira.

A meta da África do Sul é vacinar cerca de 67% de sua população até fevereiro de 2022.

Os níveis de vacinação são baixos em toda a África, com menos de 2% da população do continente de 1,3 bilhão tendo recebido pelo menos uma vacina, de acordo com os Centros Africanos para Controle e Prevenção de Doenças.

O esforço apoiado pela ONU para fornecer vacinas contra o coronavírus mundialmente conhecidas como COVAX tropeçou muito nos últimos meses.

Ela distribuiu apenas 200 milhões de vacinas em todo o mundo desde fevereiro, enquanto os Estados Unidos sozinhos administraram mais de 338 milhões de doses.

Depois que o maior fornecedor da COVAX – o Serum Institute of India – suspendeu as exportações em março para lidar com um aumento explosivo no subcontinente, as agências por trás da COVAX, incluindo a Organização Mundial da Saúde, passaram a implorar por doações dos países ricos.

A maioria das doses prometidas não chegará até o próximo ano e embora os países do Grupo dos Sete tenham se comprometido a doar um bilhão de vacinas Covid-19, isso está muito aquém dos 11 bilhões que a OMS afirma serem necessários para proteger o mundo.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *