Ejaculação frequente e câncer de próstata: qual é o link?


A próstata que desempenha um papel importante na ejaculação. Muitas pessoas acreditam que ejacular com frequência pode ajudar a reduzir o risco de câncer de próstata.

A próstata é uma glândula pequena em forma de noz que produz o líquido no sêmen e ajuda a empurrá-lo para fora durante a ejaculação.

Excluindo o câncer de pele, o câncer de próstata é o câncer mais comum entre os homens nos Estados Unidos. De fato, cerca de 1 em cada 9 homens receberá um diagnóstico de câncer de próstata em algum momento de suas vidas.

Como o câncer de próstata é muito difundido, é importante conhecer e entender os fatores de risco.

Este artigo explora se a ejaculação frequente pode ou não reduzir o risco de câncer de próstata. Também explica alguns outros fatores de risco e por que a triagem é importante.

um homem que com ejaculação frequente que pode ter risco de câncer de próstataCompartilhar no Pinterest
A ligação entre ejaculação frequente e risco reduzido de câncer de próstata não é conclusiva.

Nos últimos anos, vários artigos afirmaram que ejacular com mais frequência pode reduzir o risco de câncer de próstata. Algumas evidências científicas apóiam essas afirmações.

Por exemplo, de acordo com um estudo de 2016, os homens que ejaculam com mais frequência têm menos probabilidade de desenvolver câncer de próstata do que aqueles que ejaculam com menos frequência.

A pesquisa seguiu uma investigação de 2004 que chegou a uma conclusão semelhante. Ambos os estudos descobriram que homens que ejaculam 21 vezes ou mais por mês podem ter um risco menor de desenvolver câncer de próstata do que homens que ejaculam de quatro a sete vezes por mês.

Outros estudos produziram resultados conflitantes. Como resultado, muitos pesquisadores discordam sobre a possibilidade de ejacular com mais frequência, ou menos, a probabilidade de os homens de todas as idades desenvolverem câncer de próstata.

Um estudo de 2009 descobriu que a masturbação frequente pode reduzir o risco de câncer de próstata em homens com 50 anos ou mais. No entanto, o mesmo estudo também sugeriu que ejacular com mais frequência pode aumentar o risco entre os homens na faixa dos 20 e 30 anos.

Por outro lado, um estudo realizado em 2003 na Austrália descobriu que homens que frequentemente ejaculavam quando eram mais jovens pareciam ter uma taxa reduzida de câncer de próstata mais tarde na vida.

Uma revisão da literatura de 2016 conclui que a masturbação, a frequência da ejaculação e a idade afetaram o risco de câncer de próstata em um homem. No entanto, seus autores também dizem que não havia evidências suficientes para confirmar como esses fatores podem se ligar.

Embora algumas evidências pareçam sugerir uma ligação entre a ejaculação mais frequente e o risco de câncer de próstata, os resultados gerais foram inconsistentes e contraditórios.

Por esse motivo, os cientistas precisam realizar mais pesquisas para confirmar que impacto, se houver, a ejaculação frequente tem no risco de câncer de próstata.

Quais são os sintomas e as opções de tratamento para o câncer de próstata? Descubra aqui.

Estar ciente dos fatores de risco para o câncer de próstata pode ajudar os homens a entender sua probabilidade de desenvolvê-lo.

Os seguintes fatores parecem aumentar a probabilidade de câncer de próstata:

Era: À medida que os homens envelhecem, aumenta o risco de desenvolver câncer de próstata. De fato, cerca de 60% dos casos de câncer de próstata afetam homens com mais de 65 anos.

Raça: Homens negros são mais propensos a desenvolver e morrer de câncer de próstata do que homens brancos. Homens hispânicos são menos propensos a desenvolver câncer de próstata do que homens brancos não hispânicos.

Geografia: O câncer de próstata é mais comum em algumas áreas. Por exemplo, as taxas são mais altas na América do Norte do que na América Central e do Sul. Agora, os especialistas não sabem por que, mas a dieta pode ser um fator.

História de família: Os homens têm maior risco de câncer de próstata se tiverem parentes próximos com histórico de doença.

Fatores genéticos: Certas alterações genéticas podem aumentar o risco de câncer de próstata. Mudanças no BRCA genes, que também aumentam o risco de câncer de mama, podem desempenhar um papel.

Exposição a produtos químicos: Alguns produtos químicos podem aumentar o risco de câncer de próstata. Por exemplo, o Departamento de Assuntos de Veteranos dos EUA sugeriu que o Agente Orange – que forças militares usaram na guerra do Vietnã – possa ter vínculos com câncer de próstata.

Dieta: Alguns pesquisadores acreditam que a dieta pode afetar o risco de câncer de próstata. Os hábitos alimentares que podem ajudar a reduzir o risco incluem limitar a ingestão de gordura e comer muitas frutas e legumes frescos. No entanto, são necessárias mais pesquisas para confirmar a ligação entre dieta e câncer de próstata.

De que outra forma a dieta pode impactar o risco de câncer? Saiba mais aqui.

Em 2014, os pesquisadores sugeriram que fazer as seguintes mudanças no estilo de vida pode ajudar a reduzir o risco de câncer de próstata:

  • parando de fumar
  • exercitando regularmente
  • tomando inibidores da 5-alfa-redutase

É importante observar que a Food and Drug Administration (FDA) não aprovou o uso de inibidores da 5-alfa-redutase para a prevenção do câncer de próstata.

Existem formas naturais de reduzir o risco de câncer de próstata? Saiba mais aqui.

A triagem regular com exames de sangue ou exames retais pode garantir a detecção precoce do câncer de próstata e melhorar as chances de sucesso do tratamento.

Homens que recebem um diagnóstico quando o câncer ainda está dentro da próstata ou se espalhou apenas para tecidos próximos têm, em média, quase 100% de chance de sobreviver por pelo menos mais cinco anos.

Alguém que recebe um diagnóstico nos estágios posteriores, quando o câncer se espalha para outras partes do corpo, tem 30% de chance de viver por mais 5 anos ou mais.

Por esse motivo, é importante falar com um médico sobre a triagem.

Pessoas transexuais designadas como homens ao nascer também devem perguntar ao médico sobre a triagem. Isso ocorre porque eles ainda podem ter um risco de desenvolver câncer de próstata, mesmo que tenham feito a transição.

A pesquisa sugeriu que pode haver uma ligação entre a ejaculação frequente e o risco de câncer de próstata. No entanto, atualmente não há evidências suficientes para confirmar isso.

Todos os homens e todos os homens designados ao nascer devem conversar com seu médico sobre seus fatores de risco e seguir as orientações de rastreamento recomendadas pelo médico.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.