Efeito da pinealectomia nos níveis plasmáticos de glicose, insulina e glucagon no rato


Na tentativa de conhecer o papel da glândula pineal na homeostase da glicose, as concentrações plasmáticas de glicose, insulina e glucagon em condições basais ou após a administração de nutrientes foram estudadas na veia jugular de pinealectomizados (Pn) conscientes tratados com melatonina. ratos pinealectomizados (Pn + Mel) e controle (C). Os níveis de glicose foram menores em ratos C do que em ratos Pn, enquanto as concentrações de insulina imunorreativa (IRI) foram significativamente maiores em ratos C do que em ratos Pn. Ao contrário disso, os níveis de glucagon imunorreativo (IRG) foram significativamente maiores em Pn do que em animais C. O tratamento de ratos Pn com melatonina induz um aumento nas concentrações de IRI e uma redução nos níveis de IRG. Alterações semelhantes foram obtidas quando as determinações hormonais foram realizadas no plasma sanguíneo portal. Embora a anestesia com éter aumente os níveis circulantes de glucagon nas veias porta e cava, as alterações qualitativas da insulina plasmática e do glucagon em Pn e Pn + Mel foram semelhantes às encontradas em ratos conscientes. Para determinar os efeitos dos nutrientes na liberação do hormônio pancreático, arginina intravenosa ou glicose oral foram administradas aos animais dos três grupos experimentais. Em ratos C, os níveis de glicose e IRI atingiram um pico 30 minutos após a ingestão de glicose, diminuindo a partir daí. Porém, em ratos Pn foi observada intolerância à glicose, com concentrações máximas de glicose e insulina em 60 minutos, enquanto nos animais Pn + Mel as concentrações de glicose e IRI ficaram entre os dados obtidos com os outros dois grupos. Além disso, a ingestão de glicose induziu uma redução significativa dos níveis de IRG em todos os grupos. (RESUMO TRUNCADO EM 250 PALAVRAS)



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.