Connecticut investiga o negócio de livros digitais da Amazon em busca de comportamento anticompetitivo – Últimas notícias

Connecticut está investigando Amazonas.com Inc por potencial comportamento anticompetitivo em suas vendas de negócios livros digitais, disse o procurador-geral do estado.

A investigação é uma das muitas práticas de negócios da plataforma de comércio eletrônico. A Amazon também está sendo investigada pelos procuradores-gerais de Nova York, Califórnia e do estado de Washington e do Comissão Federal de Comércio.

“Connecticut tem uma investigação antitruste ativa e em andamento na Amazon com relação a termos potencialmente anticompetitivos em seus acordos de distribuição de e-books com certas editoras”, disse o procurador-geral William Tong em um comunicado à Reuters.

A investigação ocorre no momento em que as plataformas de tecnologia enfrentam uma reação adversa nos Estados Unidos e em todo o mundo, alimentadas por preocupações entre reguladores, legisladores e grupos de consumidores de que as empresas têm muito poder e estão prejudicando usuários e rivais de negócios.

Tong disse que seu escritório já havia tomado medidas contra empresas como maçã Inc e várias editoras de e-books para proteger a concorrência nesse mercado e continuar a monitorá-la agressivamente.

Uma porta-voz da Amazon não quis comentar.

A Amazon detém uma participação dominante no mercado de e-books, cujos rivais incluem Barnes & Noble, Apple e Alphabet’s Google.

Um relatório antitruste contundente em outubro do painel antitruste do Comitê Judiciário da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos publicou detalhes do que considerou ser o comportamento anticompetitivo da Amazon e sugeriu impedir a empresa de operar seu mercado online, no qual também compete. A Amazon se opôs ao relatório antes de ele ser lançado, dizendo que as intervenções no mercado “matariam os varejistas independentes e puniriam os consumidores, forçando as pequenas empresas a deixarem as lojas online populares, aumentando os preços e reduzindo a escolha do consumidor”.

O mercado online da Amazon está sob crescente escrutínio sobre como trata os vendedores, reúne dados desses vendedores e lança produtos concorrentes.

Em 2012, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos alegou em uma ação antitruste que a Apple, junto com cinco grandes editoras, havia trabalhado em conjunto para aumentar os preços dos livros digitais. Os editores concordaram, mas a Apple foi a julgamento e perdeu.




Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *