China testará nove milhões após novo surto de coronavírus


As autoridades de saúde chinesas vão testar todas as nove milhões de pessoas na cidade de Qingdao para o coronavírus nesta semana, depois que nove casos ligados a um hospital foram encontrados.

O anúncio quebrou uma seqüência de dois meses sem nenhuma transmissão de vírus relatada na China, embora a China tenha a prática de não relatar casos assintomáticos.

O Partido Comunista do governo suspendeu a maioria das restrições às viagens e negócios, mas ainda monitora viajantes e visitantes em prédios públicos em busca de sinais de infecção.

<figcaption class =(PA Graphics) “>
(PA Graphics)

As autoridades estão investigando a origem das infecções encontradas em oito pacientes do Hospital Municipal de tórax de Qingdao e em um membro da família, disse a Comissão Nacional de Saúde (NHC) do país.

“A cidade inteira será testada em cinco dias”, disse o NHC em sua conta na mídia social.

A China, onde a pandemia começou em dezembro, registrou 4.634 mortes e 85.578 casos, além de nove casos suspeitos que ainda não foram confirmados.

As últimas transmissões de vírus relatadas na China foram quatro pacientes encontrados em 15 de agosto na cidade de Urumqi, no noroeste da região, na região de Xinjiang. Todos os casos notificados desde então foram em viajantes de fora do continente.

O partido no poder suspendeu as medidas em abril que cortaram a maior parte do acesso às cidades, com um total de cerca de 60 milhões de pessoas, incluindo Wuhan no centro da China.

Qingdao é um porto movimentado e a sede de empresas como a Haier, uma grande fabricante de eletrodomésticos, e a cervejaria Tsingtao. O governo não deu indicações se os últimos casos tiveram contato com viagens ou comércio.

Os viajantes que chegam do exterior na China ainda precisam passar por uma quarentena de 14 dias.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.