Casos de coronavírus aumentam na Coréia do Sul enquanto EUA restringem restrições


A Coréia do Sul registrou mais de 100 novos casos de coronavírus pela primeira vez em quatro meses, enquanto a África do Sul também anunciou um aumento nas infecções e alguns estados dos EUA reforçaram o controle antidopressão.

Os novos casos na Coréia do Sul incluem 36 trabalhadores que retornam do Iraque e 32 tripulantes de um cargueiro russo, informou o governo.

As autoridades já haviam avisado que esperavam um aumento nos casos do exterior e apelaram ao público para não se alarmar.

A África do Sul, o país mais atingido da África, registrou mais de 13.104 novos casos confirmados, elevando seu total para 408.052. O governo registrou 6.093 mortes.

<figcaption class=Vários países viram um aumento nos casos de coronavírus (Rebecca Blackwell / AP) “>
Vários países viram um aumento nos casos de coronavírus (Rebecca Blackwell / AP)

O presidente Cyril Ramaphosa disse na quinta-feira que as escolas “descansarão” por um mês para proteger as crianças.

Mas, apesar do aumento de infecções, trabalhadores de restaurantes e hospitalidade protestaram esta semana para exigir um afrouxamento das restrições em seus setores.

A China, que relaxou a maioria de seus controles antivírus após a queda do número de casos, relatou 34 novas infecções – incluindo 29 que foram contraídas no país.

Um total de 638.352 mortes e 15.672.841 casos já foram relatados em todo o mundo, de acordo com dados compilados pela Johns Hopkins University.

A Índia, o país com a terceira maior infecção total, atrás dos Estados Unidos e do Brasil, registrou um número de mortos em 740 para 30.601.

O governo também relatou um aumento de 49.310 novos casos, elevando seu total para 1.287.945.

O Ministério do Interior emitiu um comunicado na sexta-feira pedindo celebrações do Dia da Independência em 15 de agosto para evitar grandes reuniões.

Nos Estados Unidos, o governador Tate Reeves, do Mississippi, reforçou o controle das barras para proteger “jovens, bêbados e descuidados”. Os bares já estavam limitados a operar com capacidade de 50% e agora também terão que garantir que todos os clientes estejam sentados e parem as vendas às 23h.

<figcaption class=As barras de Nova Orleans foram informadas com restrições crescentes, em uma tentativa de conter a propagação do coronavírus (Gerald Herbert / AP) “>
As barras de Nova Orleans foram informadas sobre restrições crescentes em uma tentativa de conter a propagação do coronavírus (Gerald Herbert / AP)

O prefeito LaToya Cantrell, de Nova Orleans, ordenou que bares fechem e proibiu restaurantes de vender bebidas alcoólicas para levar. Isso ocorreu depois que mais de 2.000 novos casos foram relatados para o estado vizinho da Louisiana, incluindo 103 em Nova Orleans.

O Arizona registrou 89 mortes adicionais, elevando a fatalidade total do estado para 3.142. O estado registrou 3.349 novos casos, elevando seu total para 156.301.

Os Estados Unidos sofreram 145.391 mortes e têm 4,1 milhões de casos confirmados.

Na Austrália, o premier Daniel Andrews, do sul de Victoria, anunciou cinco mortes e 357 novos casos. Victoria, onde o número de mortos subiu para 61, antes fechou sua fronteira com a vizinha New South Wales.

No Iêmen, 97 trabalhadores médicos morreram do vírus, um duro golpe para um país com poucos médicos que está no meio de uma guerra de cinco anos de idade.

O grupo humanitário MedGlobal disse em um relatório que o “grande número de mortos” terá “imensos efeitos à saúde a curto e a longo prazo”.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.