Áustria descarta vacinação obrigatória contra Covid, meses depois de se tornar lei | Noticias do mundo


O governo austríaco disse na quinta-feira que abandonará a controversa política do país de vacinação obrigatória contra o coronavírus, apenas alguns meses depois de se tornar lei.

A medida – que foi a primeira da UE – entrou em vigor no início de fevereiro e as primeiras verificações foram planejadas para meados de março, com aqueles que se recusam a receber o jab enfrentando multas de até 3.600 euros (US$ 4.100).

No entanto, a medida foi suspensa em março antes de qualquer verificação, com o governo dizendo que uma medida tão abrangente não poderia mais ser justificada pelo perigo que o coronavírus representava.

O ministro da Saúde, Johannes Rauch, disse em entrevista coletiva que a medida causou profundas divisões no país de nove milhões de habitantes e disse que o elemento de compulsão até impediu algumas pessoas de receber o jab.

“O mandato não está trazendo ninguém para ser vacinado”, disse ele.

A variante Omicron também “mudou as regras”, acrescentou Rauch, já que a onda impulsionada por essa variante tendia a levar a casos com sintomas mais leves.

O mandato se aplicava a todos os maiores de 18 anos, exceto mulheres grávidas, aqueles que tinham o vírus há menos de 180 dias e aqueles com isenções médicas.

August Woeginger, chefe do grupo parlamentar do governista Partido Popular (OeVP), disse na mesma coletiva de imprensa que espera que a lei que exige a vacinação obrigatória seja revogada nas próximas semanas.

Desde que foi lançado pela primeira vez no ano passado como forma de aumentar a taxa de vacinação da Áustria, a perspectiva de vacinação compulsória provocou frequentes protestos de rua, atraindo dezenas de milhares de pessoas.

Os números oficiais atuais mostram que apenas 62% da população atualmente possui um certificado de vacinação válido, ficando atrás de muitos outros países da Europa Ocidental.

Mais de 18.700 pessoas morreram após contrair o vírus na Áustria.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.