As tensões aumentam no estado indiano após ataques contra muçulmanos


As tensões estavam altas em partes do estado de Tripura, no nordeste da Índia, na sexta-feira, após uma série de ataques contra minorias muçulmanas, vistos como retaliação pela violência contra hindus no vizinho Bangladesh no início deste mês.

As autoridades estaduais enviaram tropas policiais e paramilitares e proibiram a reunião de mais de cinco pessoas nas áreas onde foram registrados ataques.

A polícia disse que pelo menos uma mesquita, várias lojas e casas pertencentes a muçulmanos na parte norte do estado foram vandalizadas desde terça-feira. Nenhuma morte foi relatada.

“Alguns encrenqueiros se empenham em perturbar a paz e a harmonia comunitária em Tripura”, disse o oficial de polícia Bhanupada Chakraborty, acrescentando que a situação estava sob controle.

Líderes muçulmanos disseram que turbas hindus atacaram mesquitas e incendiaram suas propriedades após uma manifestação de protesto na terça-feira pelo Vishwa Hindu Parishad, ou VHP, um grupo nacionalista hindu de linha dura com ligações com o Partido Bharatiya Janata do primeiro-ministro Narendra Modi.

Não se sabe se os agressores eram membros do VHP.

Vinod Bansal, porta-voz nacional do VHP, negou que seus membros estivessem envolvidos nos ataques.

“Não atacamos ninguém. Estávamos protestando pacificamente contra os ataques anti-hindus em Bangladesh ”, disse ele.

Em Bangladesh, pelo menos seis hindus foram mortos e centenas de casas e empresas incendiadas em 13 de outubro, depois que uma imagem postada nas redes sociais foi considerada um insulto à maioria muçulmana do país. A violência também gerou manifestações na Índia.

O governo de Bangladesh foi rápido em sua resposta depois que a primeira-ministra Sheikh Hasina prometeu “caçar” os agressores. Até agora, prendeu cerca de 300 pessoas.

Chakraborty disse que a polícia em Tripura registrou casos após os ataques, mas não especificou contra quem. Nenhuma prisão foi feita até agora.

Vinod Sonkar, um legislador do partido de Modi que governa o estado de Tripura, disse que o governo criou um comitê para investigar a violência.

Tripura faz fronteira com Bangladesh e os muçulmanos representam menos de 9% da população de quase 4 milhões do estado.

Mohammad Salam, um clérigo muçulmano da cidade de Panisagar, no norte de Tripura, disse que centenas de membros do VHP gritando slogans anti-muçulmanos invadiram uma mesquita na terça-feira e a saquearam. Ele disse que também queimaram várias propriedades muçulmanas.

“Estamos vivendo com medo desde então”, disse Salam.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.