‘Apenas não dê ouvidos a Putin’: Joe Biden critica a Rússia por vazamentos do Nord Stream | Noticias do mundo


Presidente russo Vladimir Putin na sexta-feira acusou o Ocidente de sabotar gasodutos de gás natural construídos pela Rússia sob o Mar Báltico para a Alemanha, uma acusação veementemente negada pelos Estados Unidos e seus aliados.

Os países nórdicos disseram que as explosões submarinas que danificaram os oleodutos nesta semana e levaram a enormes vazamentos de metano envolveram várias centenas de quilos de explosivos.

o Confronto EUA-Rússias continuou mais tarde em uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU em Nova York convocada pela Rússia sobre os ataques aos oleodutos Nord Stream 1 e 2, e como pesquisadores noruegueses publicaram um mapa projetando que uma enorme nuvem de metano dos oleodutos danificados viajará em grandes áreas da região nórdica.

Falando sexta-feira em Moscou em uma cerimônia para anexar quatro regiões da Ucrânia à Rússia, Putin afirmou que os “anglo-saxões” no Ocidente deixaram de impor sanções à Rússia para “ataques terroristas”, sabotando os oleodutos Nord Stream 1 e 2 no que ele descreveu como uma tentativa de “destruir a infraestrutura energética europeia”.

Consulte Mais informação: Conselhos para o seu eu mais jovem? Elon musk, para, pensa e diz: ‘Eu deveria ter…’

Ele acrescentou que “aqueles que lucram com isso o fizeram”, sem citar um país específico.

Em Washington, o presidente dos EUA, Joe Biden, rejeitou as alegações de Putin sobre o oleoduto como estranhas.

“Foi um ato deliberado de sabotagem. E agora os russos estão espalhando desinformação e mentiras. Trabalharemos com nossos aliados para descobrir exatamente o que aconteceu”, prometeu Biden, acrescentando que os mergulhadores seriam enviados para inspecionar os oleodutos. “Apenas não ouça o que Putin está dizendo. O que ele está dizendo nós sabemos que não é verdade.”

Autoridades dos EUA disseram que a alegação de Putin estava tentando desviar a atenção de sua anexação na sexta-feira de partes da Ucrânia.

“Não vamos deixar que a desinformação da Rússia nos distraia ou ao mundo de sua tentativa transparentemente fraudulenta de anexar território ucraniano soberano”, disse a porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, Adrienne Watson, na sexta-feira.

Nas Nações Unidas, Sergey Kupriyanov, porta-voz da estatal russa Gazprom, que é acionista majoritária da Nord Stream, disse ao conselho que os dados sobre a queda repentina de pressão no gasoduto e o vazamento de gás “tornam possível dizer com certeza que os vazamentos nas tubulações foram causados ​​por danos físicos.”

Kupriyanov disse em um briefing em vídeo que a Gazprom começou a buscar possíveis soluções para tornar o sistema Nord Stream operacional novamente. Não há estimativa de quanto tempo levará, disse ele, “mas podemos dizer com certeza que a tarefa será muito assustadora do ponto de vista técnico”.

O embaixador da Rússia na ONU, Vassily Nebenzia, fez uma série de alegações envolvendo os Estados Unidos em sabotagem, incluindo que isso beneficiaria a indústria de gás dos EUA. Ele então perguntou se o representante dos EUA não se envolveria em “fantasias mórbidas sobre a Rússia e confirmaria que os Estados Unidos “não estão envolvidos e não têm nada a ver com essa sabotagem”.

O vice-embaixador dos EUA, Richard Mills, acusou Nebenzia de espalhar “teorias da conspiração e desinformação” e usar “retórica inflamatória”.

“Deixe-me responder à pergunta dele. Deixe-me ser claro: os Estados Unidos negam categoricamente qualquer envolvimento neste incidente e rejeitamos qualquer afirmação que diga o contrário”, disse Mills.

Moscou diz que quer uma investigação internacional completa para avaliar os danos aos oleodutos, que estavam cheios de gás, mas não o forneciam à Europa. O porta-voz de Putin disse que “parece um ataque terrorista, provavelmente conduzido em nível estadual”.

As nações europeias, que vêm sofrendo com a alta dos preços da energia causada pela invasão da Ucrânia pela Rússia, notaram que é a Rússia, e não a Europa, que se beneficia do caos nos mercados de energia e da alta nos preços da energia.

Os EUA há muito se opõem aos dois oleodutos e pediram repetidamente à Alemanha que os detivesse, dizendo que aumentavam a dependência energética da Europa em relação à Rússia e diminuíam sua segurança. Desde que a guerra na Ucrânia começou em fevereiro, a Rússia cortou o fornecimento de gás natural enviado à Europa para aquecer casas, gerar eletricidade e operar fábricas. Líderes europeus acusaram Putin de usar “chantagem energética” para dividi-los em seu forte apoio à Ucrânia.

A Rússia interrompeu os fluxos de gás através do Nord Stream 1 de 1.224 quilômetros (760 milhas) de comprimento no início deste mês, culpando problemas técnicos, enquanto o gasoduto paralelo Nord Stream 2 nunca havia sido aberto.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.