Aliança direitista pronta para vitória eleitoral italiana


A Itália vota em uma eleição nacional no domingo, 25 de setembro, depois que o governo de unidade nacional do primeiro-ministro italiano Mario Draghi foi derrubado por disputas internas em julho.

Quem ganhará?

As pesquisas têm mostrado consistentemente que uma coalizão direitista liderada pelo partido nacionalista Irmãos da Itália e envolvendo também o partido Liga e o Forza Itália está a caminho de uma vitória clara. A líder dos Irmãos da Itália, Giorgia Meloni, seria a escolha provável para ser a primeira mulher primeira-ministra do país.

O que será decisivo?

A Brothers of Italy viu um aumento em seu apoio depois que permaneceu fora do governo de Draghi. A Liga, liderada por Matteo Salvini, e o Forza Italia, de Silvio Berlusconi, faziam parte do governo e seu apoio caiu.

A direita foi ajudada por divisões no centro-esquerda, onde as tentativas do principal Partido Democrata (PD) de formar uma ampla aliança eleitoral fracassaram.

Isso deixa três grupos principais lutando por votos – o PD e seus aliados, o partido centrista Azione e seu parceiro Italia Viva, e o anti-establishment Movimento 5 Estrelas.

O sistema eleitoral da Itália favorece grupos capazes de formar alianças amplas, provavelmente ampliando a vitória do bloco de direita.

Quais são os principais problemas para os eleitores?

Como em outros países europeus, a crise do custo de vida ofuscou outras preocupações, como imigração, crime e serviços públicos.

A aliança conservadora pediu cortes de impostos em geral para ajudar os italianos a lidar com o aumento dos preços, enquanto o PD quer que as reduções de impostos sejam mais direcionadas para grupos de baixa renda.

Meloni expressou repetidamente seu apoio à política ocidental contra a Rússia depois que ela invadiu a Ucrânia. Mas o líder da Liga, Matteo Salvini, pediu à União Europeia que proteja os italianos dos efeitos colaterais econômicos das sanções impostas à Rússia pela invasão.

Quem são os jogadores-chave?

Giorgia Meloni (45): A ex-ativista de extrema-direita de Roma energizou seu partido, que deve ver sua parcela de votos saltar para cerca de 25%, de apenas 4% na última eleição em 2018. Seu apoio à Otan e As sanções ocidentais contra a Rússia ajudaram a aliviar as preocupações estrangeiras sobre sua adequação ao cargo de primeira-ministra.

Matteo Salvini (49): Líder da Liga, o abrasivo ex-ministro do Interior, que adota uma linha dura em relação à imigração, foi eclipsado por Meloni nos últimos meses.

Silvio Berlusconi (85): O ex-primeiro-ministro ignorou problemas de saúde e escândalos para permanecer um jogador importante na aliança direitista, mesmo que seu Forza Italia seja o parceiro menor agora entre seus três principais partidos.

Enrico Letta (56): líder do PD e outro ex-primeiro-ministro. Seu fracasso em construir uma coalizão estável de partidos de centro-esquerda o deixou diante de uma derrota política.

Giuseppe Conte (58): Líder do Movimento 5 Estrelas. Primeiro-ministro italiano de 2018 a 2021, ele provocou raiva quando seu partido retirou o apoio ao governo de Draghi em julho, provocando divisões que levaram à eleição antecipada. Sua estratégia foi em parte justificada por uma melhora nas classificações do 5-Star, mas o partido ainda enfrenta um período de oposição.

Quando é a votação?

As urnas estão abertas das 7h às 23h, horário local (5h às 21h, horário irlandês).

O que observar?

O primeiro obstáculo para a aliança direitista será obter a maioria nas duas casas de um parlamento enxuto.

Uma maioria de mais de dois terços abriria caminho para o parlamento fazer mudanças na constituição sem colocá-los em um referendo.

O que acontece depois?

A formação de coalizões na Itália é um processo notoriamente lento, mas a perspectiva de um resultado mais claro significa que é improvável que haja uma repetição de 2018, quando levou quase três meses.

O novo parlamento se reunirá em 13 de outubro. Após essa data, o presidente italiano Sergio Mattarella pode iniciar consultas com líderes partidários para discutir a formação de um governo. -Reuters



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.