A WeWork tenta abrir o capital novamente, desta vez por meio de aquisições para fins especiais


A WeWork vai abrir o capital em uma fusão com uma empresa de aquisição de propósito específico, de acordo com relatórios, quase dois anos após sua tentativa de oferta pública inicial de ações se desintegrar.

A empresa de espaço de trabalho flexível está se fundindo com a BowX Acquisition em uma transação que avaliaria a empresa em 9 bilhões de dólares (£ 6,5 bilhões) mais dívidas, de acordo com o Wall Street Journal.

Isso está muito abaixo da avaliação de 47 bilhões de dólares (£ 34 bilhões) dada a empresa de Nova York em setembro de 2019, quando o IPO da WeWork implodiu após perdas massivas terem sido reveladas em documentos regulatórios.

O WeWork também arrecadaria 1,3 bilhão de dólares (£ 940 milhões), relatou o Journal, citando pessoas familiarizadas com o assunto.

A WeWork aluga prédios e os divide em escritórios para sublocar aos membros, que incluem pequenas empresas, start-ups e freelancers que desejam evitar gastar fundos para escritórios permanentes.

As despesas operacionais da empresa eram exorbitantes e ela dependia de repetidas infusões de dinheiro de investidores privados.

O presidente-executivo e fundador Adam Neumann, conhecido tanto por seu comportamento errático quanto por sua visão inovadora, foi colocado de lado. Ele usou parte de suas ações da WeWork para garantir um empréstimo pessoal de 500 milhões de dólares (£ 363 milhões) antes do IPO.

Ele também recebeu críticas depois que a The We Company – recentemente renomeada controladora da WeWork – pagou a ele quase 6 milhões de dólares (£ 4,3 milhões) pela marca registrada “We”. Ele devolveu o dinheiro após uma reação adversa.

O Sr. Neumann foi cofundador da WeWork em 2010 com um escritório compartilhado em Manhattan.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.