a plataforma de suporte psicológico está de volta ao serviço

CovidÉcoute: a plataforma de suporte psicológico está de volta ao serviço

Lançada durante o primeiro confinamento para ajudar pessoas em sofrimento psicológico, a plataforma de suporte da CovidEcoute está novamente disponível durante este segundo confinamento. No programa: teleconsultas gratuitas com terapeuta e apoio para aprender a “ajudar-se”.

Apoio psicológico necessário

Ansiedade, estresse, depressão, isolamento em si mesmo, fobia social … O confinamento vinculado à pandemia de Covid-19 gerou muito sofrimento psicológico. Diante desta constatação, a fundação FondaMental criou a plataforma CovidÉcoute para oferecer teleconsultas gratuitas de apoio psicológico e guias para se ajudar neste período difícil. Os voluntários que oferecem esses serviços de apoio são novamente chamados durante este segundo confinamento. E com razão, o fato de reviver pela segunda vez esse período de isolamento forçado que já vivemos em março tem um impacto real em nosso moral.

A plataforma CovidÉcoute oferece dois tipos de suporte

  • Uma teleconsulta de 45 minutos com um psicólogo ou psiquiatra: você deve primeiro ter respondido a um questionário para esclarecer seus sentimentos e dúvidas. No entanto, o site especifica “Esta consulta não é uma sessão de psicoterapia, os profissionais estão aí para responder à urgência da situação, partindo da sua necessidade e orientando-o da melhor forma possível para o atendimento adequado às suas necessidades”.
  • Documentos para se ajudar: conselhos, exercícios de meditação oferecidos por Stéphany Pelissolo, bem como links para sites.

Os principais motivos de recurso

Em um comunicado de imprensa datado de 7 de maio de 2020, a fundação FondaMental explicou “Entre os motivos da consulta mencionados, os três principais motivos da ligação são a tristeza por estarem separados dos seus entes queridos (43%), o agravamento do sofrimento pré-existente à crise Covid-19 (42%) e não suportando mais o confinamento (41%). Problemas de sono também são um motivo importante de apelo (37%). O medo de contrair a Covid tanto em confinamento quanto em desconfinamento permanece significativo para quase um quarto dos visitantes. Finalmente, um em cada cinco chamadores relatam dificuldades relacionadas ao excesso de trabalho, exaustão e gerenciamento da vida diária. Note-se que 10% dos chamadores apresentam pensamentos suicidas ”.


Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *