A FedEx processou em Nova York por verificação de antecedentes de candidatos a emprego


A FedEx Corp. foi processada por um candidato a emprego que afirma que a empresa violou a lei da cidade de Nova York ao verificar seu histórico criminal antes de decidir se lhe ofereceria um emprego. Henry Franklin, que admite ter uma ficha criminal não especificada, disse que se inscreveu online para um emprego como manipulador de pacotes da FedEx em novembro e que, como parte da inscrição, ele consentiu em uma verificação de antecedentes.

Depois que a empresa lhe enviou uma cópia dos resultados, ele nunca mais ouviu falar dela, disse ele no processo.

Os advogados de Franklin afirmam que as ações da FedEx violaram o Fair Chance Act de Nova York, uma lei de direitos civis de seis anos que visa proteger as pessoas com antecedentes criminais de discriminação no trabalho. De acordo com a lei, as empresas estão proibidas de considerar ou inquirir sobre o histórico criminal dos candidatos até que eles estendam as ofertas de emprego condicionais.

Uma vez feitas as ofertas, as empresas podem perguntar sobre antecedentes criminais, mas mesmo que encontrem algo, são proibidas de revogar as ofertas, a menos que tenha uma “relação direta” com o trabalho ou envolva segurança pública.

“O Fair Chance Act foi promulgado para proteger os indivíduos com condenações criminais contra a discriminação irracional no emprego e, assim, facilitar sua reentrada na sociedade,”

Os advogados de Franlin disseram no processo. “A política dos réus de discriminar indivíduos com histórico de condenação frustra esses objetivos de política pública.”

A empresa disse que está analisando as alegações e vai defender o processo.

“A FedEx Ground tem o compromisso de cumprir todas as leis que se aplicam às nossas operações em Nova York”, disse a empresa em um comunicado.

Franklin está pedindo ao tribunal que lhe permita representar uma classe de candidatos a emprego com antecedentes criminais que foram rejeitados pela FedEx em Nova York.

O processo é semelhante a um acertado no ano passado pela Macy’s Inc. por US $ 1,8 milhão. Nesse caso, o varejista foi acusado de usar verificações de antecedentes criminais excessivamente amplas para filtrar candidatos a empregos de minorias qualificadas com base na raça. O caso é Franklin v. FedEx Ground Package System, Inc., 21-cv-02204, Tribunal Distrital dos EUA, Distrito Sul de Nova York (Manhattan).



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.