A curcumina resgata a obesidade induzida por dieta rica em gordura e a sensibilidade à insulina em camundongos por meio da regulação da via SREBP

A obesidade e sua principal co-morbidade, o diabetes tipo 2, atingiram uma alarmante prevalência de epidemia sem um tratamento eficaz disponível. Foi demonstrado que a inibição da via SREBP pode ser uma estratégia útil para tratar a obesidade com diabetes tipo 2. As proteínas de ligação ao elemento regulador de esterol (SREBPs) são os principais fatores de transcrição que regulam a expressão de genes envolvidos na biossíntese de colesterol, ácidos graxos e triglicerídeos. No estudo atual, identificamos uma pequena molécula, a curcumina, que inibiu a expressão de SREBP in vitro. A inibição de SREBP pela curcumina diminuiu a biossíntese de colesterol e ácidos graxos. In vivo, a curcumina melhorou o ganho de peso corporal induzido por HFD e o acúmulo de gordura no fígado ou tecidos adiposos, e melhorou os níveis de lipídios séricos e a sensibilidade à insulina em camundongos obesos induzidos por HFD. De forma consistente, a curcumina regula genes alvo de SREBPs e genes associados ao metabolismo no fígado ou tecidos adiposos, que podem contribuir diretamente para o nível de lipídios mais baixo e melhora da resistência à insulina. Em conjunto, a curcumina, um dos principais componentes ativos da Curcuma longa, pode ser um potencial composto líder no desenvolvimento de medicamentos para a prevenção da obesidade e da resistência à insulina.

Palavras-chave:

Curcumina; Resistência a insulina; Obesidade; SREBPs; Diabetes tipo 2.


Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *