A AstraZeneca pode ter usado informações desatualizadas no teste – Autoridades de saúde dos EUA


Os resultados de um teste nos Estados Unidos da vacina Covid-19 da AstraZeneca podem ter usado “informações desatualizadas”, de acordo com autoridades federais de saúde do país.

O Comitê de Monitoramento de Dados e Segurança (DSMB) disse estar preocupado que a AstraZeneca possa ter fornecido uma visão incompleta dos dados de eficácia.

A AstraZeneca informou na segunda-feira que sua vacina Covid-19 forneceu forte proteção entre adultos de todas as idades em um estudo americano há muito esperado, uma descoberta que pode ajudar a reconstruir a confiança pública no jab em todo o mundo e levá-lo um passo mais perto da liberação NÓS.

No estudo com 30.000 pessoas, a vacina foi 79% eficaz na prevenção de casos sintomáticos de Covid-19 – inclusive em adultos mais velhos.


(Gráficos PA)

Não houve doenças graves ou internações hospitalares entre os voluntários vacinados, em comparação com cinco desses casos em participantes que receberam injeções falsas – um número pequeno, mas consistente com as descobertas da Grã-Bretanha e de outros países de que a vacina protege contra o pior da doença.

A AstraZeneca também disse que os monitores independentes de segurança do estudo não encontraram efeitos colaterais graves, incluindo nenhum aumento no risco de coágulos sanguíneos raros como os identificados na Europa, um susto que levou vários países a suspender brevemente as vacinações na semana passada.

Mas poucas horas depois de esses resultados encorajadores terem sido relatados, o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos disse que o DSMB “expressou preocupação de que a AstraZeneca possa ter incluído informações desatualizadas desse ensaio, o que pode ter fornecido uma visão incompleta dos dados de eficácia”.

“Instamos a empresa a trabalhar com o DSMB para revisar os dados de eficácia e garantir que os dados de eficácia mais precisos e atualizados sejam tornados públicos o mais rápido possível”, acrescentou o comunicado.

A empresa pretende entrar com um pedido na Food and Drug Administration nas próximas semanas, e os consultores externos do governo irão debater publicamente as evidências antes que a agência tome uma decisão.

A autorização e as diretrizes para o uso da vacina nos Estados Unidos serão determinadas pela Food and Drug Administration e pelos Centros para Controle e Prevenção de Doenças após uma revisão completa dos dados por comitês consultivos independentes.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.