14 mortos e 35 desaparecidos após incêndio atingir mina de carvão na Sibéria


Pelo menos 14 pessoas morreram após um incêndio em uma mina de carvão na Sibéria, que deixou 35 outras pessoas desaparecidas e temidas mortas.

As autoridades disseram que 11 mineiros foram encontrados mortos e três resgatadores morreram depois, enquanto procuravam outros presos em uma seção remota da mina Listvyazhnaya na região de Kemerovo.

As autoridades regionais declararam luto de três dias pelas vítimas.


Ambulâncias e caminhões de bombeiros fora da mina (assessoria de imprensa da região do governador de Kemerovo / AP)

O governador de Kemerovo, Sergei Tsivilyov, disse que 35 mineiros continuam desaparecidos e que sua localização é desconhecida.

Os esforços para resgatar os presos na mina a cerca de 820 pés subterrâneos foram interrompidos na tarde de quinta-feira por causa de uma ameaça de explosão, e as equipes de resgate foram levadas para fora da mina.

A agência de notícias Interfax informou que os mineiros têm suprimentos de oxigênio que normalmente duram seis horas, que poderiam ser estendidos por mais algumas horas, mas teriam expirado no final da quinta-feira.

Quase 50 outros mineiros ficaram feridos.


Equipes de resgate se preparam para trabalhar no local (Ministério Russo para Situações de Emergência / AP)

Um total de 285 pessoas estava na mina no sudoeste da região russa quando o fogo estourou e a fumaça rapidamente encheu o espaço através do sistema de ventilação.

O Comitê Investigativo da Rússia lançou uma investigação criminal sobre o incêndio sob a acusação de violação das normas de segurança que resultaram em mortes.

O presidente Vladimir Putin estendeu suas condolências às famílias dos mineiros mortos e ordenou ao governo que oferecesse toda a assistência necessária aos feridos.

Falando em uma reunião com seu homólogo sérvio Aleksandar Vucic no resort russo de Sochi no Mar Negro, ele observou que há um perigo de vida para os resgatadores e expressou esperança de que salvem o maior número possível de pessoas.


Vladimir Putin com o presidente sérvio Aleksandar Vucic (Mikhail Klimentyev / Sputnik / Kremlin / AP)

Em 2016, 36 mineiros foram mortos em uma série de explosões de metano em uma mina de carvão no extremo norte da Rússia. Após o incidente, as autoridades analisaram a segurança das 58 minas de carvão do país e declararam 20 delas, ou 34%, potencialmente inseguras.

A mina Listvyazhnaya não estava entre eles na época, de acordo com relatos da mídia.

O vigilante de tecnologia e ecologia estatal da Rússia, Rostekhnadzor, inspecionou a mina em abril e registrou 139 violações, incluindo violação de regulamentos de segurança contra incêndio.

Outra inspeção da mina foi realizada na sexta-feira, mas suas conclusões não foram divulgadas imediatamente.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *